Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Explosão na passagem do comboio de premiê palestino deixa feridos em Gaza

Rami Hamdallah e o chefe do serviço de inteligência palestino escaparam ilesos. Abbas condenou o ataque e o atribuiu ao Hamas.

 
 -  Carro danificado em explosão durante passagem de comboio com premiê na Faixa de Gaza, nesta terça-feira  13   Foto: Adel Hana/AP
Carro danificado em explosão durante passagem de comboio com premiê na Faixa de Gaza, nesta terça-feira 13 Foto: Adel Hana/AP

Sete pessoas ficaram feridas em uma explosão nesta terça-feira (13) na passagem do comboio do primeiro-ministro da Autoridade Palestina na Faixa de Gaza, afirmaram testemunhas e fontes das forças de segurança. Rami Hamdallah realiza uma visita à região.

Hamdallah e o chefe do serviço de inteligência palestino Majid Faraj, que também estava no comboio, escaparam ilesos, segundo informou uma fonte oficial à France Presse.

O premiê foi à Gaza para inaugurar uma usina de águas residuais, além de se reunir com as autoridades, de acordo com a agência Efe. Porém, depois da explosão, Hamdallah decidiu encurtar sua visita, segundo uma fonte de sua delegação.

Premiê da Autoridade Palestina, Rami Hamdallah, é escoltado por guarda-costas ao ser recebido por forças do Hamas na chegada à Faixa Gaza, nesta terça-feira (13)  (Foto: Mahmud Hams / AFP) Premiê da Autoridade Palestina, Rami Hamdallah, é escoltado por guarda-costas ao ser recebido por forças do Hamas na chegada à Faixa Gaza, nesta terça-feira (13)  (Foto: Mahmud Hams / AFP)

Premiê da Autoridade Palestina, Rami Hamdallah, é escoltado por guarda-costas ao ser recebido por forças do Hamas na chegada à Faixa Gaza, nesta terça-feira (13) (Foto: Mahmud Hams / AFP)

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, condenou um "atentado covarde" e responsabilizou o movimento islâmico Hamas, segundo a France Presse.

O Hamas governa a Faixa de Gaza desde 2007, quando expulsou do território os representantes da Autoridade Palestina. Esta última, reconhecida pela comunidade internacional, governa partes da Cisjordânia ocupada, separada da Faixa de Gaza pelo território israelense.

Após anos de divergências, o Hamas aceitou em 12 de outubro, no Cairo, ceder o controle do território à Autoridade Palestina. O acordo despertou a esperança de uma situação melhor no território, submetido ao bloqueio israelense e egípcio.

Hamas e Autoridade Palestina ainda não superaram as divisões e o acordo de 12 de outubro não foi colocado em prática.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE