Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Jovens agricultores terão ensino médio em áreas rurais de Faro, no Pará

A proposta de implantação do Ensino Médio EJA Campo surgiu do fato de que muitos jovens agricultores não conseguem ingressar no Ensino Médio regular

 
 -  O projeto terá três fases, cada uma com 520 horas de atividades pedagógicas, sempre em conexão com o calendário de atividades agrícolas dos alunos  F
O projeto terá três fases, cada uma com 520 horas de atividades pedagógicas, sempre em conexão com o calendário de atividades agrícolas dos alunos F

Jovens agricultores do município de Faro, no oeste do Pará, terão, a partir de agosto, aulas do ensino médio nas próprias áreas rurais em que residem e trabalham. Além de Faro, mais 10 municípios paraenses passarão a contar com o Ensino Médio EJA (Educação de Jovens e Adultos).

A iniciativa, segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) vai garantir que agricultores concluam o ensino médio sem saírem de suas comunidades e se afastar das atividades produtivas. O projeto tem a parceria estratégica das secretarias municipais de Educação.

“Essa é uma ação pioneira do Pará como política pública no País para levar o Ensino Médio a agricultores no campo; estamos todos focados nessa iniciativa da Secretaria de Educação para garantir a continuidade dos estudos para jovens nos municípios demandantes”, afirmou a gestora da Coordenação do Campo, das Águas e das Florestas (CCAF) da Seduc, Célia Silva, que é também responsável pela implantação do Ensino Médio EJA Campo.

Uma equipe de coordenadores do projeto já atua nos municípios para providenciar a inscrição dos jovens agricultores para as aulas do Ensino Médio Campo. O projeto piloto atenderá 1.650 alunos em 11 municípios. Os estudantes serão vinculados a escolas públicas estaduais e municipais e terão aulas nas comunidades onde residem e trabalham.

A proposta de implantação do Ensino Médio EJA Campo surgiu do fato de que muitos jovens agricultores concluem o Ensino Fundamental, por meio do Programa Projovem Campo – Saberes da Terra, mas não conseguem ingressar no Ensino Médio regular, na rede estadual de ensino, por causa da incompatibilidade das atividades na lavoura com as aulas. Foi essa a realidade que motivou a Seduc a desenvolver o projeto EJA Campo, em parceria com o Conselho Estadual de Educação (CEE), permitindo ampliar o Ensino Médio no campo.

Fases do EJA Campo

O projeto terá três fases, cada uma com 520 horas de atividades pedagógicas, sempre em conexão com o calendário de atividades agrícolas dos alunos. O currículo das três fases terá os seguintes temas norteadores: Sistema de Cultivo e Plantio; Sistema de Criação e Extrativismo. Todos os temas dialogam com as áreas de conhecimento previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Quando concluírem as três fases do ciclo escolar, os estudantes poderão participar das provas do Enem de 2020.

Para atuarem no na nova modalidade do EJA, a Seduc vai formar, no período de 6 a 10 de agosto, em Belém, 66 educadores que participaram de Processo Seletivo.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE