Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Belezas naturais de Algodoal e Maiandeua no Pará encantam veranistas e inspiram arte

As ilhas fazem parte de uma unidade de conservação na microrregião do Salgado no Pará. Terra de músicos do carimbó, o lugar inspirou exposição de fotografia e atrai veranistas no mês das férias.

 
 -  Praia de Fortalezinha, Pará.  Foto: Reprodução
Praia de Fortalezinha, Pará. Foto: Reprodução

Reunindo umas das mais belas praias paraenses, a Unidade de Conservação de Uso Sustentável que abrange as ilhas de Algodoal e Maiandeua, na microregião do Salgado no Pará, atrai milhares de pessoas no mês das férias. O cenário é composto por belas praias, dunas, mangues, lagos, além de fortes aspectos culturais, como o carimbó, artesanato e culinária.

As duas ilhas são separadas por um ramal chamado de "Furo Velho". Ambas integram a Unidade de Conservação, instituída pela Lei Estadual n°. 5.621/90, de 27 de novembro de 1990, e gerenciada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio).

Minha Praia: TV Liberal, G1 Pará (Foto: G1/TV Liberal) Minha Praia: TV Liberal, G1 Pará (Foto: G1/TV Liberal)

Minha Praia: TV Liberal, G1 Pará (Foto: G1/TV Liberal)

“Minha Praia” é o projeto de verão da TV Liberal e do G1 Pará que, tradicionalmente, divulga os principais balneários do estado. Este ano, cinco reportagens vão mostrar alguns dos destinos mais procurados pelos veranistas que buscam lazer, diversão e cultura, mas também a tranquilidade bucólica das ilhas que ficam próximas de Belém.

Em Algodoal, os veranistas costumam aproveitar a Praia da Princesa, Praia do Farol, além das áreas de mangues, restingas e dunas. Uma das atrações para turistas é a trilha para o Lago da Princesa. Informações sobre as trilhas e o roteiro ecológico podem ser consultadas na sede do Iderflor-Bio em Algodoal, no centro da vila. Já em Maiandeua, as praias na vila de Fortalezinha oferecem tranquilidade e contato com natureza, além de pousadas e restaurantes, como a Casa do Carimbó.

Vista aérea da Praia da Princesa, em Algodoal (Foto: Henrique Felício/O Liberal) Vista aérea da Praia da Princesa, em Algodoal (Foto: Henrique Felício/O Liberal)

Vista aérea da Praia da Princesa, em Algodoal (Foto: Henrique Felício/O Liberal)

Rodolpho Zahluth Bastos, professor da Universidade Federal do Pará (UFPA) explica que o turismo nas ilhas é muito baseado nos atrativos naturais por causa da diversidade do ecossistema e da beleza cênica existente. "O principal são as praias, dunas, manguezais e inúmeras trilhas que ligam as vilas. Além disso, existem ricas manifestações culturais como o artesanato, a música, e outros".

Além de atrair os veranistas, os cenários das ilhas inspiraram arte. A exposição Encantarias da Ilha com 63 fotografias e uma instalação de vídeo reuniu artistas independentes. A mostra ocorreu em abril em Belém e trouxe diversas imagens para recontar histórias sobre os encantos de Maiandeua e Algodoal. Uma delas é a música. "É lugar de carimbozeiros. Uma cultura que só vem se fortalecendo nos últimos anos", comentou Cris Salgado, uma das fotógrafas envolvidas no projeto.

Mestres do Carimbó na ilha da Maiandeua, Pará. (Foto: Pierre Azevedo / Arquivo Pessoal) Mestres do Carimbó na ilha da Maiandeua, Pará. (Foto: Pierre Azevedo / Arquivo Pessoal)

Mestres do Carimbó na ilha da Maiandeua, Pará. (Foto: Pierre Azevedo / Arquivo Pessoal)

Transporte

A travessia pode ser feita em Marudá. A passagem de ônibus saindo do Terminal Rodoviário de Belém custa R$ 22,30. São cerca de 163 quilômetros pelas rodovias BR-316, PA-136 e PA-318 até chegar no porto.

A travessia de barco dura cerca de 45 minutos e custa em torno de R$10. As embarcações são fiscalizadas pela Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon). Os barcos trafegam das 7h às 17h e após esse horário, saem de acordo com a demanda. A saída depende da maré ou do clima.

O barco que dá acesso à Praia da Princesa, em Algodoal, custa R$2 por pessoa.

Charretes são o principal meio de transporte em Algodoal (Foto: Igor Mota/Amazônia Jornal) Charretes são o principal meio de transporte em Algodoal (Foto: Igor Mota/Amazônia Jornal)

Charretes são o principal meio de transporte em Algodoal (Foto: Igor Mota/Amazônia Jornal)

Hospedagem

Há diversas opções de pousadas, hoteis e casas para lugar, com os mais variados preços. Outra opção são as propriedades de acampamento, onde é possível instalar barracas. Alguns estabelecimentos oferecem reservas via telefone ou mesmo pela internet. Confira algumas pousadas:

  1. Estrela Sol Hotel
    (91) 3854-1107
  2. Pousada Marhesias
    (91) 3854-1129
  3. Pousada Ponta do Boiador
    (91) 3279-0060
  4. Pousada Maru Rústico
    (91) 98320-0838

Atrações

Muitos eventos são realizados para garantir o agito e animação no mês de julho. São diversas atrações incluindo casas de shows, grupos de carimbó, festas de música eletrônica, reggae e muitas opções de restaurantes.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE