Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Hamas dispara foguetes e Israel bombardeia Gaza em meio a negociação de trégua

Três palestinos morreram, inclusive uma mulher grávida e seu filho de 1 ano.

 
 -  Policial israelense mostra dano causado por foguete palestino em construção na cidade de Sderot  Foto: Amir Cohen/Reuters
Policial israelense mostra dano causado por foguete palestino em construção na cidade de Sderot Foto: Amir Cohen/Reuters

A Faixa de Gaza e cidades ao sul de Israel viveram na madrugada desta quinta-feira (9) uma violenta noite, com o lançamento de foguetes por parte de militantes palestinos do enclave e a resposta de bombardeios israelenses sobre alvos militares, deixando três mortos.

Mais de 150 foguetes foram lançados por palestinos. O Exército israelense disse que sete pessoas foram feridas no sul de Israel. Uma foi identificada por seu empregador como uma tailandesa que trabalha na agricultura.

Policial israelense mostra dano causado por foguete palestino em construção na cidade de Sderot (Foto: Amir Cohen/Reuters) Policial israelense mostra dano causado por foguete palestino em construção na cidade de Sderot (Foto: Amir Cohen/Reuters)

Policial israelense mostra dano causado por foguete palestino em construção na cidade de Sderot (Foto: Amir Cohen/Reuters)

O funcionário palestino, que falava de um centro de comando usado por grupos armados de Gaza, disse que estes estavam "respondendo a crimes" de Israel -- uma referência à morte de dois atiradores do Hamas na terça-feira em circunstâncias polêmicas.

Em retaliação, Israel lançou bombardeios contra 140 alvos da Faixa de Gaza. Os mortos foram uma mulher grávida, seu filho de 1 ano e um militante do Hamas, grupo militante islâmico que controla Gaza.

Segundo um comunicado militar, os alvos dos ataques israelenses incluíram uma instalação de fabricação e armazenagem de armas, "um complexo utilizado pela força naval do Hamas e um complexo militar utilizado para treinar e lançar foguetes".

Um menino palestino olha para fora na entrada da casa de sua família que foi destruída após um ataque aéreo de israel em Al-Mughraqa, nos arredores da Cidade de Gaza (Foto: Mohammed Salem/Reuters) Um menino palestino olha para fora na entrada da casa de sua família que foi destruída após um ataque aéreo de israel em Al-Mughraqa, nos arredores da Cidade de Gaza (Foto: Mohammed Salem/Reuters)

Um menino palestino olha para fora na entrada da casa de sua família que foi destruída após um ataque aéreo de israel em Al-Mughraqa, nos arredores da Cidade de Gaza (Foto: Mohammed Salem/Reuters)

Trégua

Uma autoridade palestina disse nesta quinta que facções armadas de Gaza estão dispostas a suspender os ataques com foguetes ao sul de Israel se o Exército israelense interromper seus ataques.

O mais recente confronto ocorreu depois de autoridades de ambos os lados terem falado sobre um possível avanço no âmbito de um esforço da Organização das Nações Unidas (ONU) e do Egito para mediar uma trégua para encerrar meses de violência e aliviar uma crise humanitária e econômica crescente na Faixa de Gaza.

"Facções da resistência consideram esta escalada encerrada no que nos diz respeito, e a continuidade da calma depende do comportamento da ocupação", afirmou uma autoridade palestina, usando o termo das facções militantes para Israel.

Os militares israelenses não quiseram comentar as afirmações da autoridade palestina à agência Reuters.

O embate mais recente ficou dentro de parâmetros regulares. Os disparos de foguetes de Gaza não visaram a área central de Israel e os militares israelenses disseram que seus ataques se limitaram a instalações do Hamas.

Gaza é controlada pelo Hamas há mais de uma década, durante a qual o grupo se envolveu em três guerras com o Estado judeu, a última delas em 2014.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE