Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Governo alemão condena expressões nazistas em protesto no leste

Marcha na cidade de Köthen por morte de homem após briga com imigrantes tem gritos de ''nacional-socialismo já''. Para Merkel, referência ao nazismo não pode ser tolerada.

 
 -  Pessoas protestam após morte de alemão em briga na cidade de Köthen  Foto: Odd ANDERSEN / AFP
Pessoas protestam após morte de alemão em briga na cidade de Köthen Foto: Odd ANDERSEN / AFP

O porta-voz da chanceler federal Angela Merkel, Steffen Seibert, criticou duramente as manifestações nazistas ocorridas durante uma marcha de luto pela morte de um homem após uma briga com imigrantes afegãos na cidade de Köthen, no leste da Alemanha.

"No fim do dia em Köthen, um vídeo mostra palavras de ordem nazistas sendo entoadas abertamente – isso não pode nos deixar indiferentes e deve nos indignar." Seibert também manifestou pesar pela morte do alemão de 22 anos.

Autoridades disseram nesta segunda-feira (10) que ele não morreu em consequências de ferimentos causados durante a briga, mas por insuficiência cardíaca aguda.

A marcha foi convocada também por conhecidos extremistas de direita, e vídeos mostram manifestantes entoando cânticos e palavras de ordem nazistas, o que foi duramente criticado pelo governo alemão.

De 400 a 500 extremistas de direita da Saxônia-Anhalt, da Baixa Saxônia e da Turíngia participaram da manifestação, afirmaram autoridades da Saxônia-Anhalt. Grupos compostos principalmente de homens brancos foram filmados gritando "nacional-socialismo já". Autoridades da Saxônia-Anhalt abriram inquérito por incitação ao ódio.

A caminhada tinha como destino um parque, local da briga na véspera e onde nesta segunda-feira se acumulam flores e velas. No início, os participantes se mantiveram silenciosos. Aos poucos, o tom ficou mais agressivo. "Este é um dia de luto. Mas vamos transformar o luto em raiva", disse um manifestante num alto-falante.

Ainda não está claro o que levou à briga entre os homens, no sábado. Sabe-se apenas que ela envolveu ao menos dois afegãos, de um lado, e ao menos dois alemães, do outro.

A autópsia do corpo da vítima revelou que ela não morreu em consequências de seus ferimentos, mas de insuficiência cardíaca aguda, afirmou a polícia. Segundo a polícia, "a insuficiência cardíaca aguda não está em relação causal direta com os ferimentos sofridos". Também não foram encontrados ferimentos causados por chutes ou golpes contra a cabeça.

Os dois imigrantes afegãos, de 18 e 20 anos, foram detidos e estão sendo investigados por possivelmente terem causado ferimentos mortais numa outra pessoa. Um deles aguarda deportação, e o outro obteve status de refugiado.

A AfD convocou uma nova manifestação para a noite desta segunda-feira em Köthen.

O caso ocorreu apenas duas semanas depois da morte de um alemão de 35 anos durante uma briga, em Chemnitz, também no leste da Alemanha. Os dois suspeitos da morte, um sírio e um iraquiano, foram detidos, e a polícia procura um terceiro homem, também iraquiano.

A morte gerou protestos de extrema direita contra a política migratória do governo alemão, nas quais participantes foram vistos fazendo a saudação nazista e gritando palavra de ordem xenófobas.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE