Artigos

Artigos

Fechar
PUBLICIDADE

Artigos

As notícias falsas, também conhecidas como fake news no período eleitoral

 

As chamadas fake news, ou seja, as notícias falsas espalhadas nas redes sociais se tornaram uma epidemia no mundo inteiro. Elas fazem parte de uma nova modalidade de guerra informativa, principalmente neste momento que antecedem eleições. O Brasil aparece agora como um perfeito campo de batalha, no qual as fake news, que já estão contaminando o debate político no país há algum tempo, podem ter um papel decisivo. Os elementos são fartos em um pais muito ativo nas redes sociais.

Existe enorme probabilidade de você se deparar com um conteúdo falso na internet enquanto navega normalmente ou quem sabe por meio de grupos de whatsapp. O fato de as notícias falsas terem uma geração de escala relevante – atingindo um número de pessoas elevado em um curto período – favorece sua proliferação. 

Uma característica marcante das fake news no Brasil é o apelo a temas populares. Além disso, os hackers adotam uma redação apelativa e até sensacionalista, com o objetivo de causar a indignação do leitor e, como reflexo, compartilhamento do dado. O criminoso ataca uma das características mais comuns ao mundo digital, que é a socialização. Ao identificar uma notícia polêmica, muitas vezes o mecanismo de defesa do internauta é compartilhá-la, sem se dar conta de que, na verdade, está contribuindo para que mais pessoas acreditem em algo que não é verídico.

As fake news têm grande poder de manipular e influenciar a opinião pública ao fazer a população crer em algo não verdadeiro. Com a aproximação de grandes eventos, percebe-se crescimento significativamente nessa prática.

Notícias mentirosas, calúnias, todo tipo de discurso de ódio ou até mesmo piadas e falsificações sempre estiveram presentes na vida política do país. Mas como agora estamos falando da mentira sendo repassadas em uma escala industrial, as notícias falsas podem interferir nos processos decisórios de uma sociedade democrática. O fato de existir uma indústria que remunera aqueles que conseguem mais cliques, likes, audiência, engajamento e replicação em conteúdos agrava o cenário, pois torna a produção em escala de fake news um bom negócio. Portanto não deixem-se enganar por falsa notícias, procure verificar a fonte sempre, antes de passa-la adiante.

Henrique Augusto Silva Conti – Bacharel em Direito – Colaborador do escritório de advocacia Giovani Duarte Oliveira Advogados Associados.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE