Artigos

Artigos

Fechar
PUBLICIDADE

Artigos

Existe o melhor índice de inadimplência que sua empresa pode ter?

 

O cenário perfeito seria que a toda empresa tivesse zero de inadimplência. Afinal de contas, quanto maior é a inadimplência, maiores são os problemas de fluxo de caixa.

Ocasionando pontos negativos porque, se os clientes da empresa não pagam direito, a empresa vai precisar pegar dinheiro no banco para manter o seu capital de giro.

Pois a empresa também possui seus fornecedores e sendo assim tem o compromisso de estar cumprindo com o compromisso de pagamento do mesmo, não podendo esquecer os funcionários, os impostos e as outras despesas a vencer e precisam ser pagas.

 

Quando a cliente não paga no vencimento, e a própria empresa que no final das contas acaba financiando esse cliente inadimplente.

 

Se a empresa não tiver recursos próprios para poder esperar o pagamento desses clientes inadimplentes, vai ter que antecipar o recebimento de outras vendas, descontando títulos no banco ou em uma factoring, usar o limite de crédito ou fazer um empréstimo no bancário.

 

Está na cara que isso vai corroer a margem de lucro da empresa. Colocando a empresa em uma situação de dificuldade.

 

Mas, então qual seria a taxa de inadimplência aceitável?

 

Segundo os dados das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN), que são disponibilizados pelo site do Banco Central (Bacen), podemos definir que a taxa de 5% de inadimplência é uma taxa aceitável.

 

Essa taxa de 5% se refere ao saldo em atraso acima de 90 dias de atraso. Contudo, não podemos afirmar que se aplica em todas as empresas, pois existem vários segmentos diferentes de negócios, que operam com taxas de inadimplência diferentes.


Portanto o melhor seria você ter uma referência de inadimplência do seu próprio segmento de mercado. Entretanto conseguir os dados de inadimplência de outras empresas, inclusive de empresas concorrentes, é muito difícil.

Em função disso a melhor forma de definir a sua porcentagem de inadimplência é fazendo o cálculo da taxa de inadimplência da sua própria empresa nos últimos anos. A vista disso você vai ter uma base histórica para estabelecer a sua própria meta de inadimplência.

 

Carla Graziela Porto, colaboradora do escritório Giovani Duarte Oliveira, responsável pelo setor de Cobrança. Graduada em Processos Gerenciais e graduanda em Direito.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE