Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Esboço de roteiro de '''O Mágico de Oz''' será leiloado em Los Angeles em dezembro

É o manuscrito mais importante da história de Hollywood , disse Brian Chanes, responsável pelas consignações da casa de leilões Profiles in History.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

Uma coleção de esboços do roteiro de "O Mágico de Oz" e outros materiais dos arquivos do filme de 1939 serão leiloados em dezembro e podem arrecadar algo em torno de US$ 1,2 milhão (cerca de R$ 4,5 milhões).

A Profiles in History, casa de leilões da cidade norte-americana de Los Angeles, disse nesta quinta-feira (8) que quatro esboços de roteiro manuscritos de Noel Langley serão postos à venda.

Langley, que morreu em 1980, foi um de cerca de uma dúzia de roteiristas que trabalharam na adaptação cinematográfica do livro infantil de L. Frank Baum, que catapultou Judy Garland à fama e se tornou um clássico duradouro do cinema.

Os três primeiros roteiros originais de Langley, escritos entre 5 de abril e 14 de maio de 1938, serão vendidos juntamente com um quarto esboço, escrito por Florence Ryerson e Edgar Allan Woolf, e um quinto esboço de Langley datado de agosto de 1938.

"É o manuscrito mais importante da história de Hollywood", disse Brian Chanes, responsável pelas consignações da Profiles in History, à Reuters.

Chanes disse que as mais de 150 páginas de notas manuscritas e páginas são "a gênese de 'O Mágico de Oz', documentando seu desenvolvimento e mudanças do primeiro esboço à versão final".

Cerca de 16 fotos de efeitos especiais, incluindo a sequência do tornado que transporta Dorothy do Kansas para a terra encantada de Oz, serão incluídas no lote único.

O arquivo está sendo vendido por um colecionador particular anônimo que o comprou anos atrás do falecido colecionador de suvenires Forrest J. Ackerman, de Los Angeles, disse Chanes.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE