Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Fronteira do Brasil com a Bolívia em MS é fechada por manifestantes contrários à reeleição de Evo Morales

Uma fila de caminhões formou-se na rodovia que dá acesso à Corumbá MS , fronteira com Porto Quijarro, na Bolívia. Apesar do transtorno, caminhoneiros apoiam manifestantes.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

Manifestantes bolivianos fecharam a fronteira de Corumbá (MS) com Porto Quijarro, na Bolívia, desde a meia-noite desta quarta-feira. Eles protestam contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do país vizinho, que autorizou o presidente Evo Morales a disputar o 4° mandato.

Na Aduana em Corumbá, apenas veículos de emergência passam pelo bloqueio. Uma fila de caminhões formou-se na rodovia, dos dois lados da fronteira. Em Porto Soares, Bolívia, a 20km da fronteira, manifestantes bloquearam a estrada com pneus, para impedir a passagem de veículos na rodovia bioceânica. As manifestações acontecem simultaneamente em várias cidades da Bolívia.

Uma fila de caminhões formou-se na rodovia, dos dois lados da fronteira, por conta do bloqueio dos manifestantes bolivianos. — Foto: Carla Salentim/TV Morena Uma fila de caminhões formou-se na rodovia, dos dois lados da fronteira, por conta do bloqueio dos manifestantes bolivianos. — Foto: Carla Salentim/TV Morena

Uma fila de caminhões formou-se na rodovia, dos dois lados da fronteira, por conta do bloqueio dos manifestantes bolivianos. — Foto: Carla Salentim/TV Morena

Apesar do transtorno, caminhoneiros brasileiros apoiam a manifestação: "Eles estão no seu direito, tem que protestar para melhorar as coisas para eles na Bolívia", declara o motorista Cristiano Nascimento.

De acordo com o presidente do Comitê Cívico de Porto Quijarro, Marcelo Moreira, a decisão vai contra o referendo de 21 de fevereiro de 2016, em que mais de 50% da população votou contra a reeleição do atual presidente:

"Queremos que a decisão do povo seja respeitada. Não estão respeitando o que a população escolheu em 2016, nós queremos fazer valer o que o povo decidiu", declara. A previsão é que os bloqueios na fronteira com MS siga até a meia-noite desta quinta-feira (6).

Manifestantes bolivianos fecham fronteira com MS em protesto pela decisão que permite a reeleição de Evo Morales. — Foto: Carla Salentim/TV Morena Manifestantes bolivianos fecham fronteira com MS em protesto pela decisão que permite a reeleição de Evo Morales. — Foto: Carla Salentim/TV Morena

Manifestantes bolivianos fecham fronteira com MS em protesto pela decisão que permite a reeleição de Evo Morales. — Foto: Carla Salentim/TV Morena

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE