Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

“Mendes terá uma trégua inicial da AL, assim como Taques teve”

 
 -
A deputada estadual Janaina Riva (MDB) afirmou que o governador eleito Mauro Mendes (DEM) deverá ter uma trégua inicial da Assembleia Legislativa, de ao menos um ano, para que consiga aprovar medidas que possam ajudar o desenvolvimento de sua gestão.

Segundo a parlamentar, o mesmo ocorreu no começo da gestão do governador Pedro Taques (PSDB).

“O Mauro vai ter uma trégua inicial da Assembleia Legislativa, assim como o Pedro Taques teve no passado. O Pedro teve uma trégua de um ano e meio e ninguém fala sobre isso, mas ele ficou um ano e meio em paz com a Assembleia. Tudo o que ele mandou foi aprovado, todas as iniciativas dele foram aprovadas. Acho que o Mauro da mesma forma. Ele vai ter que cortar e vai ter a confiança da Assembleia por esse período”, disse.

Janaina acredita que Mendes foi eleito para fazer o enxugamento da máquina pública, mas que somente após o democrata assumir o Governo é que poderá se saber o que de concreto será feito.

Ele já anunciou que cortará secretarias, cargos comissionados, buscará o incremento da receita, inclusive com a possibilidade de taxar o agronegócio, a manter em dia o salário dos servidores, sendo o não-pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) uma possibilidade.

Janaina pediu que os servidores públicos tenham paciência para esperar o novo gestor tomar conhecimento da máquina.

“Toda e qualquer notícia veiculada antes de ele assumir o cargo ainda será especulação. Até porque, alguns com quem conversei da transição me disseram que situação é mais grave do que eles mesmos imaginavam. Então, a gente só vai ter uma real noção de como se encontra o Estado quando ele tomar posse”, afirmou.

“Com relação ao servidor, pode ser que de fato venhamos a ter um problema maior do que imagina com relação ao pagamento. E, aí, não dá para culpar um governo que acabou de assumir. Os servidores, assim como todos os outros, terão que ter paciência de esperar para ele poder tomar ciência da situação. Então, o momento é de ter muita paciência antes de já prejulgar o posicionamento do governador”, disse.

Fora da base

A deputada disse que será independente em relação ao Governo, mas ajudará Mendes nas medidas que julgar positivas. Mas ressaltou que não poderá dar o mesmo suporte se a proposta prejudicar os servidores públicos.

“Ele já sabe e conhece dos meus posicionamentos aqui dentro. Então, já sabe como vou me comportar com as votações, mas acho que podemos, sim, caminhar juntos. Não há nada que impeça que isso aconteça. Mas precisa um alinhamento”, afirmou.

“Ele vai exigir uma postura rígida com relação aos servidores? Isso é uma coisa que não posso oferecer, mas se precisar de um respaldo em outras votações, eu posso fazer. Talvez essa independência seja melhor para mim”, completou.


Midia News

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE