Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Moradores fazem ação de limpeza e ocupação em ponto de acúmulo de lixo no Canal do Galo, em Belém

No lugar dos entulhos, o espaço agora tem mudas de planta e pneus reaproveitados.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

Cansados de lidar com o acúmulo de lixo nos arredores da ponte no Canal do Galo, no bairro do Telégrafo, em Belém, dezenas de moradores organizaram uma ação para ocupar o espaço de maneira diferente - plantando mudas de plantas e reaproveitando pneus.

O vendedor Jefferson Pantoja, que mora e administra uma loja na área, disse que a ação contou com cerca de trinta moradores e apoio da prefeitura. O lixo foi recolhido em mais de cinco caminhões e foram cedidos três caminhões de aterro para tapar buracos no local.

"O grande problema nem foi a questão da coleta de lixo, porque era feita, mas havia muito despejo irregular de entulhos, carcaças de animais mortos, muito lixo, e a gente tinha que conviver com o mau cheiro", contou.

O trabalho começou às 9h e foi até 17h de segunda, 7, mobilizando dezenas de moradores. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal O trabalho começou às 9h e foi até 17h de segunda, 7, mobilizando dezenas de moradores. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal

O trabalho começou às 9h e foi até 17h de segunda, 7, mobilizando dezenas de moradores. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal

Pantoja disse que o trabalho começou pelas 9h de segunda (7) e foi até as 17h. "As pessoas viam a gente e vinham ajudar. Depois que terminamos, os moradores começaram a ficar vigiando se alguém ia jogar lixo lá, espontaneamente, e os carroceiros já passavam direto, sabendo que ali não era mais lugar de lixo".

No próximo domingo, já está marcada a segunda parte da 'operação limpeza'. Os moradores criaram um grupo para trocar mensagens e já planejam continuam limpando o mato que cresceu pelas margens do canal e continuar reaproveitando dezenas de pneus velhos.

Em dezembro de 2018, a prefeitura de Belém disse que problemas no aterro sanitário instalado em Marituba, na região metropolitana, estavam prejudicando a coleta. Segundo moradores, a situação no Canal do Galo ficou bastante complicada e passaram o Natal e o Ano Novo com o mau cheiro vindo do lixo acumulado.

O grupo espera que a população tenha consciência dos problemas causados pelo descarte irregular. "Aqui, o caminhão do lixo passava e no outro dia, já tinha lixo de novo. Esperamos que agora as pessoas tenham consciência que cada um precisa fazer a sua parte, descartando o lixo de forma certa e fiscalizando o lugar onde vive", disse Pantoja.

Moradores ficaram com a consciência de fiscalizar se continuam jogando lixo na área. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal Moradores ficaram com a consciência de fiscalizar se continuam jogando lixo na área. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal

Moradores ficaram com a consciência de fiscalizar se continuam jogando lixo na área. — Foto: Jefferson Pantoja / Arquivo Pessoal

 

 

Escolhidas para você:






PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE