Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Cortejo marca o enterro de mãe e filha assassinadas em Altamira

Vítimas foram encontradas na última quarta-feira, 24, enterradas em uma chácara localizada na zona rural do município do sudoeste do Pará.

 

Foram enterradas no início da tarde desta quinta-feira (25) mãe e filha assassinadas em Altamira, no sudoeste do Pará. O caso gerou comoção no município e moradores protestaram em frente a delegacia e realizaram um cortejo fúnebre até o cemitério São Sebastião. A manifestação pede a condenação o quanto antes dos dois suspeitos presos pelo crime.

No final da tarde da última quarta-feira (24) um homem de 19 anos foi preso e confessou o crime. A mãe dele, que era vizinha das vítimas, ajudou nas investigações. De acordo com a Polícia Civil, ela está em estado de choque.

O suspeito que estava em prisão domiciliar afirmou aos investigadores que planejava matar, além da mãe e da filha, o pai da criança. Por isso, foi até a casa da família no horário do almoço, mas apenas a mulher e a menina estavam em casa.

Ele, então, teria as ameaçado com um faca e levado ambas de moto até uma área isolada, onde cortou o pescoço da adulta e estrangulou a criança de quatro anos. O motivo do crime foi vingança, já que ele havia sido acusado de assaltar a residência das vítimas.

Um segundo suspeito também foi preso, após a polícia encontrar a moto das vítima na residência dele.

Entenda

Mãe e filha estava desaparecidas desde a última terça-feira (23). O esposo e pai das vítimas procurou a polícia para iniciar as buscas.

Durante as investigações, a polícia encontrou divergências no depoimento do filho de uma vizinha. Pressionado pela mãe, na tarde da quarta-feira (24) , ele confessou o crime e levou os policiais até o local onde estavam enterrados os corpos, em uma cova de 40 cm de profundidade.

Os corpos foram removidos para perícia no Instituto Médico Legal (IML) e liberados no início da noite, quando começou o velório. Moradores da cidade fizeram protestos em frente à Delegacia local pedindo justiça para as vítimas.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE