Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Lucas: entidades mobilizam população para o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

 
 -   /
/ /

De cada cinco casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes no Brasil, apenas um chega ao conhecimento das autoridades policiais. Ainda de acordo com os números, cerca de 80% dos abusos ocorrem no seio familiar.

Visando alertar a população e inibir os possíveis abusadores, é que a prefeitura de Lucas do Rio Verde-MT, por meio da Secretaria de Desenvolvendo Social, aderiu à campanha nacional de Campanha Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A abertura da programação aconteceu na manhã dessa terça-feira (14) na Câmara Municipal de Vereadores e contou com a presença de representantes de diversas entidades apoiadoras (CDL, OAB, Conselho Tutelar, CMDCA), bem como de alunos de várias escolas do município.

“Essa é uma campanha de suma importância, principalmente para crianças e adolescentes (…). Nossas crianças estão vulneráveis aos ataques de adultos, né, principalmente as crianças que são vítimas dos próprios familiares, onde são abusadas por pais, padrastos, tios, avós. Isso está sempre nos noticiários e precisa ser denunciados. Precisamos orientar as nossas crianças e adolescentes para não fiquem em silencio, que denunciem. Cada vez que ela ficar quieta, cada vez mais será abusada, podendo perdurar por muito tempo, trazendo um trauma imenso a nossas crianças. Por isso estamos hoje aqui, nesse dia especial, e precisamos estar sempre vigilantes”, disse a Primeira Dama, Rafaela Frizzo.

O dia “D” de combate ao crime de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes é comemorado no dia 18 de Maio, porém, em Lucas do Rio Verde a campanha terá ações permanentes, para que a luta em defesa das crianças e adolescentes não caía no esquecimento.

Foi escolhido o dia 18 de Maio para marcar as comemorações em combate ao abuso e exploração sexual, pois nesse dia no ano de 1973 no Espirito Santo, a pequena Araceli Cabrera Crespo (8 anos) foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos. Desde então, esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência.

“Dia 18 de Maio é uma referencia, mas nós vamos prorrogar essa campanha durante todo o ano de 2019 para que nossas crianças e adolescentes tenham uma maior proteção e que possamos sensibilizar a população luverdense. A partir de agora temores roda de conversas nas escolas, teremos palestra que será feita com os Bombeiros do Futuro”, salientou a Secretária de Desenvolvimento Social, Lucileide Gurka.

Apoiador das ações de enfrentamento e combate aos crimes de abuso sexual, o advogado e ex-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente, Marco Antônio Mendes, destaca que as políticas públicas voltadas ao enfrentamento desse tipo de crime, bem como apoio às vítimas e punição dos autores vêm dando certo.

Mas em seu ponto de vista, há ainda muito a ser feito para que mais casos sejam denunciados. “Então nós temos ainda um grande numero de crianças vítimas de abuso sexual e que ainda não receberam tratamento devido ao medo que pesa sobre eles, pois o agressor quando comete um crime desses, ele amedronta a criança para que não seja denunciado, fazendo ameaças de morte, dizendo que vai matar o pai ou a mãe, por exemplo,” argumento Mendes.

“Nós precisamos ampliar essa campanha e trazer toda comunidade e principalmente dar confiança a criança ‘vítima’ para que ela denuncie e dar a certeza de que nada de ruim vai acontecer quando ela denunciar o crime” acrescentou.

Ainda de acordo com o advogado, somente no ano de 2018 aproximadamente 50 casos de abuso contra crianças e adolescentes foram investigados em Lucas do Rio Verde. “Se pegarmos essa estatística, vamos chegar a um numero absurdo de casos que estão acontecendo e que não estão sendo levados ao conhecimento das autoridades para que o agressor seja de fato punido”, reforçou, levando em consideração que de cada cinco casos de abuso, apenas um é levado ao conhecimento das autoridades competentes.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE