Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

REGIONAL

TCE suspeita de irregularidade e suspende pregão de R$ 1,2 mi

 

Uma medida cautelar em Representação de Natureza Interna (Processo nº 203467/2019) proposta pela Secex de Contratações Públicas, em desfavor da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Município de Barra do Garças, foi concedida pelo conselheiro interino do Tribunal de Contas de Mato Grosso, Luiz Henrique Lima.

Na medida consta indícios de irregularidades na realização do Pregão Presencial nº 001/2019. O gestor e ordenador de despesas da Ager, José Roberto Santos Cruz, e o pregoeiro, Willer Alves Sirqueira foramcitados na ação.


O Pregão tem como objetivo a futura e eventual contratação de empresa especializada para licenciamento e/ou locação de sistemas de computador – software para a área pública, no valor estimado em R$ 1.281.600,00.


Foram constatadas no procedimento licitatório cinco irregularidades. Entre elas: ausência de parecer jurídico nos documentos enviados ao Aplic; exigência ilegal para que as licitantes realizem visita técnica na sede da Ager de Barra do Garças.


Da redação

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE