Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Brasil questiona Índia na OMC por subsídios ao açúcar

Governo brasileiro tem argumentado que as políticas indianas geraram prejuízos aos agricultores do país ao ajudar a derrubar as cotações do alimento.

 
 -   /
/ /

O Brasil apresentou nesta quinta-feira (11) um pedido de estabelecimento de painel na Organização Mundial do Comércio (OMC) a respeito do regime de apoio da Índia ao setor açucareiro, em contencioso iniciado em fevereiro deste ano, informou o Ministério das Relações Exteriores (MRE).

O governo brasileiro tem argumentado que as políticas indianas geraram prejuízos aos agricultores do país ao ajudar a derrubar as cotações do adoçante, além de terem descumprido acordos no âmbito da OMC.

Austrália e Guatemala também formalizaram pedido de painéis na OMC sobre o mesmo tema, acrescentou o MRE, que reiterou suas críticas aos incentivos da Índia a produtores locais.

O Itamaraty alega que a Índia praticamente dobrou o preço mínimo a ser pago pela cana-de-açúcar desde a safra 2010/11, com as exportações do adoçante do país asiático saltando de 2 milhões de toneladas para 5 milhões de toneladas entre as temporadas 2017/18 e 2018/19.

"Tais medidas são incompatíveis com as disciplinas do Acordo sobre Agricultura da OMC, seja porque ultrapassam os níveis de apoio doméstico permitidos à Índia, seja porque constituem subsídios à exportação vedados pelo Acordo", afirmou.

O Itamaraty defendeu ainda que a política indiana tem "contribuído fortemente para a depreciação internacional do preço do açúcar, em prejuízo dos exportadores brasileiros".

O pedido de estabelecimento de painel segue-se à realização de consultas com o governo indiano que não conseguiram solucionar a disputa, acrescentou o Brasil.

A solicitação será apreciada em reunião do Órgão de Solução de Controvérsias da OMC prevista para o próximo dia 22.

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) celebrou o pedido realizado pelo Brasil, destacando se tratar de um importante passo para o reequilíbrio do mercado do adoçante.

"Com essa ação, o Brasil se posiciona de forma assertiva internacionalmente, solicitando respeito às regras estabelecidas pela OMC, e toma uma ação efetiva para eliminar distorções no mercado internacional de açúcar", disse a entidade.

O órgão afirmou ainda esperar que a abertura do painel "possa induzir o governo indiano a rever suas políticas".

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE