Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Profissionais do HRBA participam de capacitação em lesão de pele e uso de cateter

O objetivo é estabelecer ações inovadoras para a realização de práticas seguras no processo do cuidado da pele e introdução de cateter.

 
 -   /
/ /

Profissionais do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, no oeste do Pará, participaram de dois eventos, nesta semana, para aprimorarem técnicas de assistência prestada aos usuários. Na segunda-feira (15), houve workshop do Time Cuidador de Pele sobre a "Assistência de Enfermagem no Manejo de Feridas e Curativos". E na terça (16), o workshop do Time Cuidador de Cateter, sobre "Inserção e Manutenção Segura de Cateteres".

O objetivo do evento sobre manejo de feridas e curativos foi estabelecer ações inovadoras para a realização de práticas seguras no processo do cuidado da pele, além de sensibilizar as equipes de saúde sobre a importância do tratamento correto e eficiente das lesões.

"Esses eventos asseguram a nossa ferramenta principal na assistência ao paciente, que é a melhoria contínua. Aumentamos o nosso nível de percepção quanto aos eventos adversos e, assim, garantimos maior segurança ao nosso paciente", explicou o enfermeiro responsável pela ação, Rodrigo Gastaldi.

No workshop sobre cateter foram apresentadas inovações tecnológicas e informações que contribuem para aumentar a segurança dos pacientes durante a internação hospitalar. Cateter é um instrumento, em forma de tubo, inserido em veias profundas e de maior circunferência para facilitar a administração de medicamentos e a retirada de sangue para exames.

São dois tipos de acesso: venoso periférico e venoso central. O periférico é a inserção de cateter nos membros (braços, mãos e pernas). O central é utilizado em pacientes que necessitam de grandes quantidades de medicamento e soro, geralmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Especialização

Segundo a diretora assistencial do HRBA, Francilene Caldeira, o desafio é reduzir os acessos centrais, mesmo tendo pacientes graves, o que aumenta ainda mais a complexidade. "Trabalhamos muito a anatomia e fisiologia para permanecer no acesso periférico. Queremos que a nossa equipe se especialize nisso", informou.

O diretor técnico da unidade, Epifânio Pereira, reforçou a importância de uma assistência de qualidade. "Enfermagem forte se traduz em um hospital forte. Isso mostra a importância dos técnicos e enfermeiros nas instituições de saúde. Por isso trabalhamos focados na qualidade e segurança na assistência aos pacientes", ressaltou.

O Hospital Regional do Baixo Amazonas atende a uma população estimada em mais de 1,1 milhão de pessoas, com várias especialidades, e integra a rede de hospitais públicos do Governo do Pará.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE