Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Testemunhas e réu confesso do caso Davi Amaral serão ouvidos pela Justiça dia 22 de julho

Juiz da 3ª Vara Criminal de Santarém marcou audiência no Fórum, às 11h. Jovem foi espancado em 14 de fevereiro de 2019 e acusado se entregou à polícia uma semana depois.

 
 -   /
/ /

A audiência de instrução e julgamento para ouvir testemunhas e réu confesso do caso Davi Amaral será realizada no dia 22 de julho deste ano, no Fórum da Comarca de Santarém, no oeste do Pará. O juiz da 3º Vara Criminal, Gabriel Veloso, deve ouvir seis testemunhas e o réu Arisson Sá Pedroso.

A audiência ocorrerá às 11h em uma sala da vara na qual tramita o processo e, somente depois de ouvir testemunhas e réu, o juiz decidirá se o caso vai a júri popular ou não.

Como uma das testemunhas encontra-se em outro estado, o juiz Gabriel Veloso encaminhou uma carta precatória à Comarca de Planaltina (DF) solicitando que o juízo procedesse a intimação ao advogado visto com o jovem Davi horas antes do crime, no dia 14 de fevereiro, em um bar no bairro Livramento. A testemunha deve comparecer à audiência para realização de oitiva.

Também foi solicitada à Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) que o réu Arisson Sá Pedroso seja encaminhado ao Fórum para participar da audiência.

Davi Silva foi vítima de espancamento no bairro Livramento, em Santarém — Foto: Reprodução/Facebook Davi Silva foi vítima de espancamento no bairro Livramento, em Santarém — Foto: Reprodução/Facebook

Davi Silva foi vítima de espancamento no bairro Livramento, em Santarém — Foto: Reprodução/Facebook

De acordo com os mandados de intimação de audiência, o não comparecimento ao juízo no dia, hora e local marcados, sem justificava, poderá acarretar condução coercitiva com auxílio de força policial, aplicação de multa, pagamento de custas da diligência, sem prejuízo de responder a um processo penal por crime de desobediência.

O caso Davi Amaral

Davi da Silva Amaral tinha 18 anos. Ele foi encontrado desacordado na manhã do dia 14 de fevereiro, em um terreno baldio no cruzamento das avenidas São Nicolau e São Paulo, bairro Livramento, em Santaré. O jovem estava apenas de camisa, despido da cintura para baixo. Ele foi socorrido pelo Samu e levado para o hospital municipal, onde foi declarada a morte cerebral no dia 17.

Um inquérito foi aberto para investigar o caso. E no dia 20 de fevereiro, o principal suspeito, Arisson Sá Pedroso, 24 anos, se apresentou na Seccional de Polícia Civil, onde confessou ser o autor do espancamento que provocou a morte de Davi Amaral.

CASO DAVI AMARAL

  • O crime

  • Divulgação de imagens do bar

  • Imagens do suspeito das agressões

  • Aproximação com o suspeito

  • Manifestação em Santarém

  • Confirmação de morte encefálica

  • Divulgação da foto e nome do suspeito

  • Necropsia e exame sexológico

  • Tipificação do crime

  • Prisão temporária

  • Velório e sepultamento

  • Prisão do principal suspeito

  • Confissão e motivação

  • ‘Ele deu em cima de mim e eu não gostei’

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE