Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Polícia Civil recupera celular furtado logo após o crime em Oriximiná

Segundo a polícia, na fuga o suspeito jogou o aparelho que foi encontrado em um terreno.

 
 -   /
/ /

A Polícia Civil de Oriximiná, no oeste do Pará, conseguiu recuperar um aparelho celular furtado de Lucielane Venâncio Amaral, por um jovem não identificado, no antigo galpão municipal.

Sergundo informações repassadas pela vítima à polícia, o suspeito aproveitou a distração da vítima quando esta lhe servia um copo d'água, em seu comércio localizado na Rua 24 de Dezembro.

Ao perceber que o celular havia sido furtado, a vítima foi atrás do suspeito até às proximidades da saída da cidade, ao lado da escola técnica, onde ele tentava vender o aparelho.

Com as informações dadas pela Lucielane, o investigador Elias Vilaça e o escrivão Renan Guimarães foram até o local indicado e conseguiram recuperar o celular que havia sido jogado pelo suspeito nos fundos de um terreno baldio.

"É um crime comum, ocorre bastante. Houve aumento na estatística de recuperação de celulares provenientes de furtos ou roubos em Oriximiná, mas mesmo assim os delitos ainda acontecem. O comércio do smartphones é extremamente amplo, fácil, rápido, mas a Polícia Civil vem trabalhando fortemente no combate a esses crimes", destacou o delegado William Fonseca.

Alerta

A Polícia Civil de Oriximiná alerta que, quem compra um celular roubado ou furtado também responde criminalmente por receptação, com pena de um a quatro anos de prisão.

"A maioria dos casos em que são identificados os compradores de aparelhos celulares roubados, eles relatam: ‘Ah, eu não sabia que era roubado'. Mas provavelmente é no intuito de se defender, porque, quando você compra um aparelho que normalmente lhe custaria R$ 1 mil e vai pagar R$ 100, alguma coisa há com esse aparelho de telefone. Está pedindo para se complicar. Está incentivando o crime e está participando de uma cadeia criminosa. Está sendo autor direto de crime de receptação", alertou o delegado William Fonseca.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE