Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Com risco de surto de dengue, zika e chikungunya, município de Currais Novos RN fará mutirões e testa armadilha no combate ao mosquito

Até a primeira quinzena de setembro, a Secretaria Municipal de Saúde notificou 150 casos de dengue, sete de chikungunya e três de zika

 
 -   /
/ /
ÁUDIOTEXTO PARA RÁDIOCréditos: Ministério da Saúde O município de Currais Novos está em risco de surto de dengue, zika e chikungunya. É o que revela o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti, o LIRAa. A situação preocupa as autoridades de saúde locais, pois se repete desde 2014. 
Até a primeira quinzena de setembro, a Secretaria Municipal de Saúde notificou 150 casos de dengue, sete de chikungunya e três de zika. Em comparação ao ano passado, o número de ocorrências das três doenças é menor, quando foram notificados 819 casos de dengue, quatro de chikungunya e oito de zika. 
Mesmo com a redução de casos, o objetivo da secretaria é alcançar o índice mínimo de infestação e estabelecer mais parcerias com os moradores. A coordenadora de Vigilância em Saúde, Izabel de Medeiros, informa que novos mutirões serão feitos no município e a população terá uma nova arma no combate ao mosquito, a “mosquiteleira”, uma espécie de armadilha feita com garrafa pet, microtule e fita adesiva. O projeto está em teste e deverá chegar às casas nos próximos meses.

Créditos: Ministério da saúde

“Dando certo, faremos oficinas nas escolas e praças públicas para ensinar como montar a mosquiteleira, que será uma forma de controle, pois, se tem Aedes preso nela, é um sinal que tem um foco do mosquito por perto.”

O município trabalha para conter casos como o da farmacêutica Edeusa Sousa, de 38 anos. Em 2017, ela que trabalha na Farmácia Frei Damião, de Manoel Salustino, relembra o sofrimento causado pela dengue. 

“Ave Maria! Nos dois primeiros dias, mal me levantava da cama – não sentia vontade. Até a tarde, meu negócio era dormir com febre. Era dor no corpo todo.”

Para Edeusa, é preciso que a população e gestores intensifiquem a mobilização contra o mosquito, pois apenas uma picada do inseto traz consequências muito sérias para a saúde. 

“Todo dia chega uma pessoa aqui, na farmácia, dizendo que está com dores no corpo devido à chikungunya. Já vi clientes chorando, se arrastando, de muleta, de cadeiras de rodas. Foi muito triste. A primeira coisa que eu faço até hoje na minha casa é não deixar água parada, nunca. Eu boto as garrafas de cabeça para baixo e sempre mantenho o quintal limpo.”

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa por você. 
Aqui vão algumas recomendações do Ministério da Saúde para a limpeza dos reservatórios de água. É importante mantê-los tampados. A limpeza deve ser periódica, com água, bucha e sabão. Ao acabar a água do reservatório, é necessário fazer uma nova lavagem nos recipientes e guardá-los de cabeça para baixo. Segundo o ministério, esse cuidado é essencial porque os ovos do mosquito podem viver mais de um ano no ambiente seco.
Dengue, chikungunya e zika podem matar. Caso queira denunciar focos do mosquito, procure a prefeitura da cidade. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes.
 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE