Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Catedral celebra 200 anos de dedicação à Nossa Senhora da Conceição; conheça a história do Círio e dos símbolos de devoção

A dedicação da catedral à Nossa Senhora da Conceição deu origem ao Círio que em 2019 completa seu primeiro centenário.

 
 -   /
/ /

A dedicação da Catedral à Nossa Senhora da Conceição, padroeira da agora Arquidiocese de Santarém, no oeste do Pará, completa 200 anos em 2019. Mas, de acordo com livros históricos, a devoção à Nossa Senhora da Conceição no município teve origem em 1661, quando os jesuítas criaram uma Missão junto à aldeia dos índios Tapajós.

A construção da catedral começou em 1761, cem anos depois que o padre João Felipe Bettendorff - fundador da cidade de Santarém -, construiu uma capela e dedicou à Nossa Senhora da Conceição, de quem era devoto.

A construção original era dotada de duas torres, similares às atuais, porém, levemente menores. Em 1851 a torre da esquerda desabou, logo em seguida sua outra torre também foi derrubada. A igreja teve sua construção finalizada em 1881, com a conclusão da construção do Altar-Mor e instalação da nova cruz de ferro no alto da igreja. Em 31 de setembro de 1893 recebeu o título de Catedral. O prédio sofreu então diversas reformas e restaurações, a última realizada no ano de 2018.

As primeiras procissões do Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós As primeiras procissões do Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós

As primeiras procissões do Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós

A dedicação da catedral à Nossa Senhora da Conceição deu origem ao Círio que em completa seu primeiro centenário. O Círio da Conceição é considerado a segunda maior manifestação religiosa do estado, ficando atrás somente do Círio de Nazaré, realizado no segundo domingo de outubro, em Belém. Em Santarém, o Círio da Conceição atrai católicos de cerca de 20 municípios do oeste do Pará.

Registros históricos apontam que no início, as homenagens à padroeira da Diocese de Santarém eram conhecidas como Círio da Bandeira. Nessa procissão, um estandarte com uma figura da santa era conduzido na frente dos caminhantes.

A festa acontecia de forma mais modesta até 1844, quando foi fundada a Confraria de Nossa Senhora da Conceição, com objetivo de celebrar o culto à Virgem no dia 8 de dezembro. O primeiro Círio foi realizado em 28 de novembro de 1919. Este ano, a Arquidiocese realiza a edição de número 101.

Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós

Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém, no Pará — Foto: Arquivo/TV Tapajós

A devoção à Nossa Senhora da Conceição ganha corpo a cada ano e as festividades não se resumem mais apenas à trasladação, Círio e arraial. A programação começa no mês de agosto com as visitas da imagem peregrina. Famílias, órgãos públicos e empresas aguardam ansiosas a visita que é uma preparação para o grande Círio.

A festa integra o calendário oficial de eventos de Santarém, movimenta o comércio local e fomenta o turismo religioso. Centenas de devotos dos municípios vizinhos e turistas de vários lugares do país se unem na grande romaria em homenagem à Imaculada Conceição pelas ruas de Santarém.

No dia anterior ao Círio, é realiza a trasladação da imagem oficial. Este ano a trasladação ocorre no dia 23 de novembro. Nesse dia, a imagem oficial será levada em procissão luminosa da agora Catedral Metropolitana de Santarém até a igreja de São Sebastião, onde permanece sob vigília dos fiéis até o início da manhã do dia 24, para o Círio oficial.

Trasladação da imagem de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém — Foto: Luti Gomes/G1 Trasladação da imagem de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém — Foto: Luti Gomes/G1

Trasladação da imagem de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém — Foto: Luti Gomes/G1

Nesse período, as ruas por onde a trasladação e o Círio passam são enfeitadas predominantemente nas cores azul e branco. Na frente de residências, sacadas de prédios, empresas e instituições de ensino, altares são montados para homenagear Nossa Senhora. Não faltam queima de fogos e homenagens em forma de música e teatro.

São muitas demonstrações de solidariedade, inclusive de igrejas evangélicas ao longo do trajeto, com distribuição de água, sucos, e abertura de banheiros para os fiéis.

Elementos de devoção

A imagem de Nossa Senhora da Conceição é o principal elemento de devoção do Círio além do manto e a coroa. Ela tem a coroa e o manto de rainha. A multidão caminha com Maria e por Maria para chegar até seu filho Jesus.

Os registros históricos apontam que a imagem oficial foi fabricada por volta da primeira metade do século XIX. É uma imagem espanhola, feita em madeira oca, não possui cabeleira e nem membros articulados. Por isso, se mantém a tradição da confecção de mantos, rosário, coroa, além da entrega de cabelos de devotas para a confecção de perucas.

Imagem oficial de N. Senhora da Conceição no oratório da igreja Matriz em Santarém — Foto: Adonias Silva/G1 Imagem oficial de N. Senhora da Conceição no oratório da igreja Matriz em Santarém — Foto: Adonias Silva/G1

Imagem oficial de N. Senhora da Conceição no oratório da igreja Matriz em Santarém — Foto: Adonias Silva/G1

O manto está diretamente ligado à imagem e por si só é considerado por historiadores como um importante elemento de devoção e de milagres. A cada ano, a imagem ganha um novo manto, que é doado por famílias em agradecimento a graças alcançadas. O manto deste ano foi doado pela delegada Márcia Rabelo, que fez questão de participar do processo de bordado da peça.

A coroa, usada sobre a cabeleira da imagem, representa a virgem Maria como rainha, mãe de Deus, da igreja e dos fiéis.

Outros símbolos

Mulher pagou promessa no Círio 100 de Nossa Senhora da Conceição em Santarém — Foto: Geovane Brito/G1 Mulher pagou promessa no Círio 100 de Nossa Senhora da Conceição em Santarém — Foto: Geovane Brito/G1

Mulher pagou promessa no Círio 100 de Nossa Senhora da Conceição em Santarém — Foto: Geovane Brito/G1

Como em outras festas católicas realizadas pelo Brasil afora, o pagamento de promessas ainda é muito forte no Círio. Caminhar descalço, vestir crianças de anjo, adultos com vestes semelhantes a de Maria, São Francisco e São José, devotos com casas de madeira ou isopor sobre a cabeça, fiéis com tijolos e livros, são sempre presentes no Círio. Essas demonstrações de fé são formas de agradecimento por bênçãos alcançadas.

A oração do terço pelos fiéis durante a procissão é outro elemento marcante, especialmente. Os cordeiros mantém a tradição de modo muito especial. Não há como não se emocionar com a demonstração de fé, força e amor por Nossa Senhora ao lado da corda.

Cordeiros na caminhada do Círio de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Ana Carolina Maia/G1 Cordeiros na caminhada do Círio de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Ana Carolina Maia/G1

Cordeiros na caminhada do Círio de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Ana Carolina Maia/G1

A corda foi instituída em 1971, nos mesmos moldes do Círio de Nazaré e permanece até os dias de hoje. Feita de sisal, a corda tem 200 metros de comprimento. Para conseguir um lugar na corda, os “cordeiros” chegam ainda à noite, na véspera do Círio à igreja de São Sebastião.

O hino também é considerado um dos símbolos da festa de Nossa Senhora da Conceição. A letra foi composta pelo poeta e escritor Emir Bemerguy, que em vida foi devoto fervoroso de Maria. A composição foi feita em 1971, a pedido vigário da catedral, à época, Frei Vianney Muller.

Criada em 1932, a barraca da festa é um dos símbolos marcantes das festividades da padroeira. É um local de encontro de famílias e de pessoas que prestigiam o tradicional arraial, que começa no dia do Círio com vendas comidas típicas da região.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE