Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Banho de Ofurô

Hospitais públicos do Pará apontam os benefícios do banho de ofurô para recém-nascidos

 

Hospitais públicos do Pará apontam os benefícios do Banho de Ofurô para recém-nascidos

Especialistas das unidades indicam que este banho simula o útero materno e diminui o desconforto do bebê

No estado do Pará, o Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), e o Hospital Materno-Infantil de Barcarena - Dra Anna Turan (HMIB) incluem, como recurso terapêutico, as sessões de banho de ofurô para os bebês. A prática consiste em imergir o bebê até o ombro com água morna dentro de um balde. 

O procedimento é aplicado nas duas unidades hospitalares do Governo do Pará, gerenciadas pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.  A técnica auxilia da adaptação extrauterina, pois o espaço, o posicionamento do bebê e a água proporcionam ao recém-nascido sensações de relaxamento e analgesia. O banho de balde é recomendado a partir do nascimento até seis meses, podendo variar de acordo com cada caso, além disso, pode tranquilizar, acalmar e, até mesmo, aliviar algumas dores.

Barcarena

O banho de ofurô é realizado com bebês que atendem os critérios de inclusão, como ter um peso acima de 1.500g, pele íntegra, sem acessos ou periféricos junto ao corpo. No Hospital Materno-Infantil são realizados banhos diários, além de um curso mensal voltado aos pais, para aprenderem a técnica e praticarem com mais segurança, após a alta hospitalar.

No HMIB, a prática é associada à mobilização subaquática, utilizando as propriedades da água aquecida, com cinco técnicas do método Watsu: Quieto, Dança da respiração, Ninar do Coração, Liberando a coluna e Encerramento. O Watsu foi uma metodologia desenvolvida em 1997 na Holanda, por obstetras e enfermeiros para simular os estímulos e as sensações experimentadas no útero materno.

Segundo a coordenadora de fisioterapia da unidade, Grace de Melo, as técnicas ajudam na redução do estresse, perda de peso, tempo de internação e, consequentemente, favorecerem o melhor desfecho dos cuidados neonatais. Além de fortalecer o vínculo profissional da saúde com a família, e da mãe com o bebê.

“O banho de ofurô não tem contraindicação e oferece diversos benefícios ao bebê, além disso, é capaz, inclusive, de resolver problemas com insônias, dificuldades intestinais e até cólicas mais severas. Ao mesmo tempo, traz a sensação de aconchego e segurança. As técnicas aplicadas auxiliam principalmente na mecânica respiratória, por isso, muito bebês dormem, tranquilamente, após o banho”, afirma.

Marabá

No Hospital Regional do Sudeste do Pará, o banho de ofurô é mais uma das estratégias de humanização do parto, realizada regularmente na unidade, e oferecido a todos os recém-nascidos clinicamente estáveis, inclusive aos prematuros.  "É um banho com o propósito de relaxamento, e não de higiene. A limpeza da criança é feita antes, com um paninho. Principalmente para os prematuros, o banho de fricção pode ser até mesmo dolorido”, explica Lorena Monteiro responsável pela UTI Pediátrica e Neonatal do HRSP.  

Após a alta hospitalar os pais podem seguir realizando em casa a técnica, que é indicada pelo Ministério da Saúde. Eles são orientados pelo corpo clínico a terem todo o cuidado para evitar acidentes, proporcionando assim o relaxamento adequado ao seu bebê.

"Muitos bebês mantêm o choro em suas primeiras horas de vida, choram muito e param, um ciclo repetitivo, é como se eles estivessem enfrentando ainda o trabalho de parto, nem o colo da mãe os acalma. O banho nesse momento é uma ferramenta poderosa para tranquilizá-lo" reitera Lorena. 

Os bebês que recebem o banho se mostram mais calmos, e dormem mais no turno em que foi realizado. A iniciativa vai além da assistência clínica, e interfere de maneira positiva no seu desenvolvimento. O banho promove qualidade de vida para o bebê e para a mãe, reforça o vínculo entre eles, além de promover maior interação humana entre a puérpera e a equipe assistencial.

Sobre o Materno-Infantil de Barcarena

Inaugurado no dia 21 de setembro de 2018, o Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan está localizado na cidade de Barcarena, no Pará, 114 km distante da capital Belém. Mantida pelo Governo do Estado do Pará e gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, é uma unidade hospitalar pública que atende média e alta complexidades.

O público – alvo são mulheres gestantes e recém-nascidos. Sua abrangência inclui 11 municípios do Baixo Tocantins: Abaetetuba, Barcarena, Igarapé-Miri, Moju, Baião, Cametá, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Acará, Ponta de Pedras e Oeiras do Pará.

Sobre o Hospital Regional Sudoeste do Pará

O Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP) está localizado em Marabá, um dos municípios mais populosos do Estado.

Possui 115 leitos, dos quais 77 são de unidades de internação clínica e cirúrgica e 38 são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – 20 de UTI Adulto, 9 de UTI Pediátrica e 9 de UTI Neonatal. As especialidades disponibilizadas na unidade são anestesiologia, cardiologia, cirurgia buco-maxilo-facial, cirurgia plástica reparadora, cirurgia pediátrica, cirurgia vascular, cirurgia geral, clínica médica, endoscopia, infectologia, nefrologia, neonatologia, neurologia, pediatria, obstetrícia de alto risco, oftalmologia, ortopedia-traumatologia, otorrinolaringologia, radiologia, terapia intensiva e urologia.

A unidade oferece, ainda, atendimento em reabilitação (fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia), exames laboratoriais, diagnóstico por imagem e métodos gráficos (ressonância magnética, tomografia computadorizada, raio-x, ultrassonografia, teste ergométrico, ecocardiograma, eletrocardiograma e endoscopia).

Sobre a Pró-Saúde

Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE