Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Indígenas, quilombolas e ribeirinhos protestam na PA-263 por indenizações da hidrelétrica de Tucuruí, no PA

Entre as reivindicações estão pagamentos a expropriados; compensação aos atingidos pela jusante e pelo uso da areia da Praia Gaviões.

 
 -   /
/ /

Cerca de 300 manifestantes iniciaram um protesto na rodovia PA-263, entre Breu Branco e Tucuruí, sudeste do Pará, desde às 9h desta segunda-feira (2).

O grupo faz parte da Associação das População Atingidas pelas Obras do Rio Tocantins (Apovo), reunindo indígenas, quilombolas e ribeirinhos, que pedem indenizações e compensações pela construção da Hidrelétrica de Tucuruí. O G1 pediu posicionamento da Eletronorte, responsável pela hidrelétrica, e aguarda retorno.

De acordo com Ademar Silva, um dos integrantes da Apovo, entre as reivindicações estão pagamentos a expropriados; compensação aos atingidos pela jusante e pelo uso da areia da Praia Gaviões.

Ainda segundo Silva, uma reunião com o Ministério Público Federal (MPF) estava marcada para esta segunda, mas foi adiada.

O MPF disse, em nota, que "respondeu colocando-se à disposição para realizar audiência pública em janeiro" e também informou que aguarda resposta da associação Apovo sobre a possibilidade de participação das comunidades na audiência.

A PM foi acionada para acompanhar os protestos. Até às 17h30, a interdição parcial continuava, com liberação de veículos a cada dez minutos.

Manifestantes protestam na PA-263, entre Breu Branco e Tucuruí, no Pará. — Foto: Reprodução / Apovo Manifestantes protestam na PA-263, entre Breu Branco e Tucuruí, no Pará. — Foto: Reprodução / Apovo

Manifestantes protestam na PA-263, entre Breu Branco e Tucuruí, no Pará. — Foto: Reprodução / Apovo

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE