Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Cemitério judaico na França é profanado com desenhos de suásticas

Região do Baixo-Reno, onde fica o cemitério, vem sofrendo com ataques racistas ao longo do ano. A cerca de 20 km do cemitério, inscrições antissemitas também foram encontradas na cidade de Schaffhouse-sur-Zorn.

 
 -   /
/ /

Mais de 100 túmulos do cemitério judaico de Westhoffen, cerca de 25 km a oeste de Estrasburgo, no leste da França, foram profanados nesta terça (3), informaram as autoridades locais. A maioria dos 107 túmulos marcados foi pintada com suásticas.

A cerca de 20 km dali, inscrições antissemitas também foram encontradas na cidade de Schaffhouse-sur-Zorn.

"Estou consternado, em choque", declarou à AFP Maurice Dahan, presidente do Consistório Judaico do departamento do Baixo-Reno, região onde ficam ambas as cidades. Segundo ele, o cemitério profanado tem cerca de 700 sepulturas.

O cemitério profanado tem cerca de 700 sepulturas. — Foto: Prefecture du Bas-Rhin / AFP O cemitério profanado tem cerca de 700 sepulturas. — Foto: Prefecture du Bas-Rhin / AFP

O cemitério profanado tem cerca de 700 sepulturas. — Foto: Prefecture du Bas-Rhin / AFP

O prefeito do Baixo-Reno, Jean-Luc Marx, emitiu comunicado no qual condenou "com firmeza esses odiosos atos antissemitas que atingem mais uma vez o Baixo-Reno". Ele também expressou seu "total apoio" à comunidade judaica.

O Baixo-Reno vem sofrendo uma onda de vandalismo racista ao longo do ano. Em fevereiro, 96 túmulos foram profanados em um cemitério em Quatzenheim, a cerca de 15 km de Westhoffen.

Túmulos em Westhoffen foram pintados com suásticas — Foto: G1                             Túmulos em Westhoffen foram pintados com suásticas — Foto: G1

Túmulos em Westhoffen foram pintados com suásticas — Foto: G1

Em meados de abril, pichações racistas e antissemitas foram descobertas nas paredes da prefeitura de Dieffenthal. Alguns dias depois, suásticas e insultos foram marcados na fachada da casa de uma vereadora de Schiltigheim, perto de Estrasburgo.

  • 'O que eu passei eu não desejo a um inimigo', diz baterista de 94 anos que sobreviveu ao Holocausto

Escritos antissemitas também foram descobertos no início de março em frente a uma escola em Estrasburgo e suásticas foram desenhadas nas paredes de uma antiga sinagoga em Mommenheim.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE