Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Polvos vestidos de Papai Noel fazem parte do tratamento de bebês no HMIB

 
 -   /
/ /

Em comemoração ao Natal, a equipe multiprofissional do Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), unidade gerenciada pela Pró-Saúde, confeccionou polvos de crochê natalinos que fazem parte do Projeto Octos. A ação, além de beneficiar os bebês, também foi um presente do hospital para as mamães.

Jhanson Monteiro Brandão tem apenas três meses de nascido e todos vivenciados no Hospital Materno-Infantil. Com 28 semanas de gestação, ele nasceu pesando apenas 800 gramas. Deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e hoje está internado na Unidade de Cuidados Intensivos Intermediários (UCI).

O polvo de crochê o acompanha desde a UTI como conta a mãe do bebê, Keise Serrão. “Esse polvinho está com a gente desde o começo e eu acho que ele ajuda muito na melhora do meu bebê. Esse com roupinha de Natal é um diferenciado”, ressalta.

Quem também aproveita o Projeto Octos é a pequena Brenda, com 16 dias de vida. Ela e a mãe são do município de Mocajuba e vieram transferidas para a UCI do Materno-Infantil. “Achei interessante esse polvo vestido de Papai Noel, nos faz passar essa data com coração mais calmo, para a melhora dela eu faço tudo e não me incomodo de ficar aqui durante o Natal” comenta a mãe da bebê, Laiana Lopes Gomes.

**Produção dos polvos de crochê natalinos**

Durante três semanas foram confeccionados cerca de 20 polvinhos para todos os leitos da UTI e UCI. Uma das colaboradoras voluntárias foi a nutricionista Danielly Silva. “É um carinho por todos os recém-nascidos que são admitidos aqui no Hospital. É uma forma de mostrar a eles que, mesmo nascido antes do tempo previsto, estamos acompanhando cada passo para o conforto deles.

**Projeto Octos: Um Amor para Recordar**

O Projeto Octos tem a proposta de confecção de polvinhos de crochê pelas mães voluntárias no HMIB. Os polvos são colocados dentro da incubadora se tornando uma companhia para os pequenos que enfrentam meses nas UTIs Neonatais. O objetivo do projeto é passar mais segurança e aconchego aos bebês.

“O recém-nascido sai do ambiente tranquilo que é a barriga da mãe e vai direto para a incubadora. O polvinho é utilizado para proporcionar um maior acolhimento e os tentáculos remetem o cordão umbilical, transmitindo a sensação de segurança e amor”, explica a diretora Assistencial, Joice Vaz.

“Hoje inúmeros artigos comprovam a eficácia desse item no tratamento clínico, sem contar que é uma maneira de cuidar também da mãe do bebê porque é ela que confecciona o polvo, humanizando a temporada que eles passarem na Unidade”, completa a diretora Joice.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE