Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Mais três mulheres reconhecem o adolescente como '''Maníaco de Marituba

Vítimas compareceram à Seccional de Marituba, subindo para 10 o número de casos. Mulheres eram ''escolhidas'' pelas redes sociais, atraídas sob falsa promessa de trabalho.

 
 -   /
/ /

Mais três mulheres compareceram, na tarde de terça-feira (14), à Seccional Urbana de Marituba e reconheceram o adolescente de 17 anos como o "Maníaco de Marituba". Ele atraia, por meio de redes sociais, as vítimas sob falsa promessa de trabalho, as roubar, estuprar e agredir. Com estes três registros, subiu para 10 o número de casos.

“Tínhamos contabilizado sete vítimas. Mas na tarde de ontem três vítimas estiveram na Seccional Urbana de Marituba para denunciar o adolescente. Duas disseram que teriam sido estupradas, e a outra chegou a trocar mensagens com ele, mas ficou desconfiada e não foi ao encontro”, informou o diretor de Polícia Metropolitana, delegado Marco Antônio Duarte.

Sobe para sete o número de vítimas do 'maníaco de Marituba

Sobe para sete o número de vítimas do 'maníaco de Marituba'

Os casos vieram à tona após as investigações sobre a morte de Samara Duarte Mescouto, que estava desaparecida desde sexta-feira (10). O corpo foi encontrado na noite de domingo (12). No crime, segundo a polícia, o adolescente contou com a ajuda de um comparsa, um homem de 20 anos.

Segundo o Ministério Público do Pará (MPPA), em depoimento, o jovem confessou participação na morte de Samara e disse que escolhia as vítimas nas redes sociais, geralmente mulheres que prestavam serviços de estética com atendimento domiciliar. Após saírem para trabalhar, as vítimas não retornavam para casa. Um dos pontos de encontro era um posto de gasolina localizado na rodovia BR-316.

“Ele usava um perfil feminino em uma rede social para atrair as vítimas e marcava com elas para prestar o serviço. Ao chegar no ponto de encontro as vítimas recebiam uma ligação dizendo que o marido da pessoa que pediu o serviço ia buscá-las. Nesse momento o suspeito levava as vítimas para uma área de mata onde o estupro acontecia”, explica o delegado geral, Alberto Teixeira.

Investigação

De acordo com a Polícia Civil, os depoimentos indicam que apenas em um dos crimes, houve a participação do homem adulto. Nos outros casos, o adolescente teria agido sozinho. Ainda segundo a Polícia, nos casos em que houve apenas a participação do adolescente, será aberto um processo de investigação na Delegacia do Adolescente. No outro caso, será aberto um inquérito policial.

Segundo a Polícia, antes dos crimes, o adolescente chegou a ficar 12 dias custodiado na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), acusado de furtar uma bicicleta em Ananideua. Assim que foi liberado, ele começou a cometer os crimes.

"O adolescente infrator ele não é regido pelo código penal, ele é regido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ele poderá pegar até trê anos de medida socioeducativa. É importante dizer que essa medida visa reeducar o menor, integrar essa pessoa por meio do diálogo, da família, do Ministério Público", disse o delegado Antônio Duarte.

Os crimes

De acordo com a polícia, o primeiro caso da série de crimes foi cometido no dia 4 de janeiro, em que o adolescente teria roubado e estuprado uma mulher. O segundo crime foi uma tentativa de roubo e estupro, cometido no dia 7 de janeiro. A vítima conseguiu fugir após lutar com o adolescente. A terceira vítima, Samara Duarte Mescouto, estava desaparecida desde sexta-feira (10) e o corpo foi encontrado na noite de domingo (12). No sábado (11), duas irmãs foram atacadas. Uma delas conseguiu fugir e registrou o boletim de ocorrência na seccional de Marituba. A outra vitima, uma jovem de 17 anos foi encontrada na área de mata após ser violentada e está internada em estado grave no Hospital Metropolitano, em Ananindeua.

A terceira vítima, Samara Duarte Mescouto, estava desaparecida desde sexta-feira (10) e o corpo foi encontrado na noite de domingo (12).   — Foto: Reprodução/TV Liberal A terceira vítima, Samara Duarte Mescouto, estava desaparecida desde sexta-feira (10) e o corpo foi encontrado na noite de domingo (12).   — Foto: Reprodução/TV Liberal

A terceira vítima, Samara Duarte Mescouto, estava desaparecida desde sexta-feira (10) e o corpo foi encontrado na noite de domingo (12). — Foto: Reprodução/TV Liberal

Na segunda-feira (13), duas mulheres compareceram à delegacia de Marituba e reconheceram o adolescente como autor de roubo e estupro sofridos por elas em 2019.

Segundo o delegado da Polícia Civil, em todos os casos o suspeito tentou matar as vítimas. "Depois de praticar o ato ele tentava, através do estrangulamento, matar as suas vítimas. Algumas delas, infelizmente, perceberam e conseguiram fugir. Algumas até travaram luta corporal com ele. O escopo era esse, não ser reconhecido. Se desse para disse, ele iria matar", disse.

Familiares de Samara, uma das vítimas do adolescente, deram relatos emocionados sobre o crime violento cometido. "Ser humano não faz o que ele fez. Ela não foi uma vítima isolada, foram várias", disse o padrasto da Samara, Reginaldo Santos.

"Fica um alerta mesmo, para a segurança, para as delegacias e principalmente para as mães. Para as mães, quando os filhos saírem de casa não esperem 24 horas, porque 24 horas é o que a polícia dá. Não chegou, vai lá, vai procurar, vá atrás, ligue, mas vá atrás do seu filho, porque muitos não voltam mais, como ela não voltou", disse a tia da Samara, Daniele Barra.

O corpo de Samara permanece no Instituto Médico Legal. Devido ao estado de putrefação em que o corpo se encontra, não será realizado velório. O corpo da vítima vai ser encaminhado diretamente para o sepultamento um cemitério localizado em Marituba.

Foram protocoladas nesta tarde pelo Ministério Público três representações, sendo duas por estupro e roubo e uma por latrocínio, requerendo à Justiça seja decretada a internação provisória do adolescente até o final dos três processos, bem como a celeridade processual do caso.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE