Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Annabella Sciorra testemunha no julgamento de Harvey Weinstein: '''Ele me estuprou'''

Segundo atriz, ataque aconteceu entre os anos de 1993 e 1994. Crime prescreveu, mas acusação espera que relato mostre que produtor é um predador sexual. Ele nega as acusações.

 
 -   /
/ /

A atriz de "Os Sopranos" Annabella Sciorra testemunhou nesta quinta-feira (23) contra Harvey Weinstein no segundo dia de seu julgamento em Nova York por crimes sexuais. Ela afirma que o produtor a estuprou nos anos 90. Ele nega as acusações.

"Eu estava tentando tirá-lo de cima de mim", testemunou Sciorra, acrescentando que ela dava socos e chutes, mas que Weinstein a segurou. "Ele subiu em mim e me estuprou."

A promotoria espera que o testemunho de Sciorra ajude a convencer o júri de que o acusado é um predador sexual. Sua suposta agressão ocorreu há tanto tempo que o crime foi prescrito e, portanto, não é alvo direto do processo.

Weinstein, 67 anos, é acusado nesta ação de praticar sexo oral com a ex-assistente de produção Mimi Haleyi contra sua vontade em 2006 e de estuprar a atriz Jessica Mann em 2013.

O caso é emblemático para o movimento #MeToo contra assédio e agressão sexual.

Se ele for considerado culpado pelos crimes dos quais é acusado, o ex-todo-poderoso produtor de filmes enfrentará uma sentença máxima de prisão perpétua.

Relato de Sciorra

Segundo a atriz, o ataque aconteceu em seu apartamento no final de 1993 ou no começo de 1994. Ela disse que tinha participado de um jantar com Weinstein e outras pessoas em Manhattan, e ele ofereceu uma carona para a casa dela.

Sciorra diz que ele a deixou na porta do prédio, ela subiu e, quando já ia dormir, Weinstein voltou. Ele tocou a campainha e forçou sua entrada, afirma a atriz. Ela diz que tentou fugir, mas Weinsten a agarrou, levou para a cama e a estuprou.

Outras denúncias

Mais de 80 mulheres denunciaram Weinstein por assédio, agressão sexual ou estupro desde o escândalo sobre seus supostos abusos em outubro de 2017.

A maioria dos crimes prescreveu e Weinstein só será julgado nesta ação por supostos ataques contra Haleyi e Mann.

Mas, em uma vitória para a acusação, foi permitido o depoimento de outras mulheres além das duas que dizem terem sido vítimas de agressão sexual, como Sciorra.

Acusação fala em choque e medo; defesa nega que foi estupro

A promotora-adjunta Meghan Hast disse que Sciorra estava em choque e com muito medo de chamar a polícia. Recentemente, contou sua história publicamente em outubro de 2017 ao jornalista Ronan Farrow da revista "The New Yorker".

"Ele a deixou física e emocionalmente arrasada, desmaiada no chão", contou a procuradora.

Sciorra deve passar por um duro interrogatório por parte da defesa. Em suas alegações iniciais, o advogado de Weinstein, Damon Cheronis, disse que Sciorra contou uma vez que "fez uma loucura" com o produtor de cinema.

"Não descreveu como estupro porque não era", disse Cheronis.

Harvey Weinstein chega a seu julgamento em Nova York — Foto: Spencer Platt/Getty Images North America/AFP Harvey Weinstein chega a seu julgamento em Nova York — Foto: Spencer Platt/Getty Images North America/AFP

Harvey Weinstein chega a seu julgamento em Nova York — Foto: Spencer Platt/Getty Images North America/AFP

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE