Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

'''Big Brother''': artistas venceram 32% das edições com celebridades no mundo, mas fama não garante vitória

Atores, atrizes e ex-participantes de reality shows costumam se dar bem em programa, mas anônimos também já venceram. Homens ganharam 59% das 85 edições do BB .

 
 -   /
/ /

Seja uma edição única e tímida lá nos primórdios dos anos 2000 ou mais de 20 em quase duas décadas com astros do mundo inteiro, o "Big Brother" dedicado a celebridades foi um fenômeno mundial. Foram 85 edições em 22 países de todos os continentes.

Aqui no Brasil, pela primeira vez uma edição recrutou famosos para formar metade do time de confinados, em 2020.

O país que mais se empenhou na franquia de celebridades foi o Reino Unido, com 22 edições de 2001 a 2018. Lá, o derivado teve mais edições que o original, com 19 entre 2000 e 2018.

Quanto mais famoso, melhor?

Artistas venceram 32% das edições com celebridades no mundo, mas o alcance da fama não garante preferência no reality, de acordo com os resultados registrados nesses países.

Mesmo quando os vencedores foram atores ou cantores, eles não eram as pessoas com maior alcance fora da casa.

Além disso, há os azarões. Na Argentina, por exemplo, o menos famoso foi o vencedor: entre figuras públicas escaladas para o programa, foi justamente o ex-brother Diego Leonardi a levar o prêmio.

E, no Reino Unido em 2006, a vencedora foi a única não famosa entre os 11 confinados. Para ela, a fama veio depois do programa. Após vencer o “BB”, se tornou apresentadora de TV.

Entre as profissões que mais venceram edições VIP, estão:

  • Ator ou atriz: 15
  • Ex-participantes de realities: 13
  • Cantores: 12
  • Apresentadores: 11
  • Atletas: 7
  • Comediantes: 5

Também ganharam filhos de famosos, modelos, drag queen e até um mágico.

As mulheres venceram em 41% dos programas dedicados a celebridades, enquanto os homens foram campeões em 59% deles. A Espanha foi o país de mais sucesso para elas: as mulheres venceram todas as sete edições do “Gran Hermano VIP”, que foi ao ar de 2004 a 2019.

Curtos e explosivos

As primeiras edições com estrelas foram curtíssimas, com oito dias de programa. As últimas, tiveram pouco menos de 30. As edições com celebridades, ou pessoas VIPs como alguns países chamaram, foram sempre curtas.

Mas a pouca duração do programa não impediu que os confinados protagonizassem barracos e momentos inusitados. Um dos momentos mais marcantes foi quando Angie Bowie, ex-esposa de David Bowie, soube da morte do cantor ao vivo, em 2016, e contou a seus colegas de confinamento.

Eles acharam, no entanto, que se tratava de Gavid Gest, confinado com eles no programa. Após muita comoção, constaram que Gest estava bem e acharam que Angie tinha feito uma pegadinha de mau gosto.

Outra polêmica fez do "Big Brother celebridade" de 2018 o dono do episódio com mais reclamações da história da TV inglesa. A atriz Roxanne Pallett acusou o ator Ryan Thomas de ter dado um soco nela durante uma discussão. Depois, as filmagens mostraram que Thomas não havia encostado na atriz. Ela se desculpou e Thomas foi o campeã da edição, última a passar no Reino Unido.

Já teve influencer nessa casa

Serginho no 'BBB' em 2010 — Foto: Divulgação/TV Globo Serginho no 'BBB' em 2010 — Foto: Divulgação/TV Globo

Serginho no 'BBB' em 2010 — Foto: Divulgação/TV Globo

Esta não foi a primeira vez que o “BBB” recrutou gente conhecida. Em 2010, Tessália e Serginho eram os brothers influenciadores digitais antes do termo sequer existir.

Tessália era a Twittess no Twitter. No "Big Brother", foi vista como uma das vilãs da casa e saiu com 78% na terceira semana.

E Serginho era o Sr. Orgastic no Fotolog. No programa, ficou até a 11ª semana quando saiu em um paredão com seu amigo Dicesar.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE