Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Telhado sustentável criado por alunos do SESI de Blumenau ajuda a diminuir temperaturas em ambiente

Espécie de “bandeja verde” é feita com materiais recicláveis, fibras de coco e de madeira e pode custar metade do valor de telhados verdes convencionais

 
 -   /
/ /
ÁUDIOTEXTO PARA RÁDIOFoto: arquivo pessoal

Alunos do SESI de Blumenau estão desenvolvendo um projeto para reduzir as altas temperaturas em casas e prédios utilizando materiais recicláveis e encontrados na natureza. O telhado sustentável é um dos projetos inovadores que serão apresentados neste sábado (8), durante a etapa regional do Torneio SESI de Robótica da FIRST Lego League (FLL), em Jaraguá do Sul (SC). 

Os melhores times desta etapa garantem vaga na disputa nacional, que será realizada em São Paulo de 6 a 8 de março. Em Santa Catarina, 37 equipes de escolas públicas, privadas e da rede SESI SENAI participam do torneio, representando 23 municípios. 

Os jovens Amanda dos Santos (15), Rebeca Silva (13), Lucca Suhet (15) e Pedro Henrique da Silva (14), da equipe de robótica “Techmaker”, fabricam, ainda em pequena escala, um protótipo feito a partir de madeira plástica. O revestimento é fabricado com plástico do tipo 1 e tipo 2, que normalmente não são aproveitados pela indústria, além de fibras de madeira e de coco. Esses materiais, juntos, criam a madeira plástica. A fibra de coco, segundo a equipe, é resistente à degradação e não adere à umidade, ou seja, mantém a qualidade do produto final.

“O principal problema que a gente tenta resolver com esse telhado verde é a alta temperatura dentro dos ambientes. A ideia é diminuir a incidência de luz solar no telhado, tornando o ambiente mais ameno”, garante o professor e técnico da equipe, Bolivar Fernandes. 

A maioria dos telhados verdes, segundo a estudante Rebeca Silva, de 13 anos, é composto de uma camada de solo ou substrato de vegetação, podendo custar até 250 reais o metro quadrado. Por isso, Rebeca ressalta que o protótipo deles pode sair mais barato e ainda mantém a eficiência de outros tipos de coberturas como essa.

“A gente fez um teste com um protótipo em escala reduzida que mostrou que, no horário mais quente do dia, o telhado verde diminui em 13% a temperatura dentro da casa. O nosso telhado com bandeja custaria, em média, R$ 60 o metro quadrado”, revela Rebeca. 

Segundo estudo da Universidade Mackenzie de São Paulo, as principais vantagens do telhado verde são capacidade de reter água, mudar a umidade relativa do ar, diminuir amplitudes térmicas, reduzir ruídos, melhorar a qualidade do ar e ainda proteger a estrutura da cobertura predial.

A competição
O Torneio de Robótica FIRST LEGO League reunirá 100 equipes formadas por estudantes de 9 a 16 anos e promove disciplinas, como ciências, engenharia e matemática, em sala de aula. O objetivo é contribuir, de forma lúdica, para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais exigidas dos jovens.

O diretor de Operações do Departamento Nacional do SESI, Paulo Mol, ressalta que a elaboração dos projetos estimula a autonomia e o trabalho em equipe e contribui para a formação profissional dos alunos. “A questão do empreendedorismo é a base de todo o processo. Nesse torneio, uma das avaliações que é extremamente importante é a capacidade de empreender, de buscar coisas novas, de fazer com que o produto seja desenvolvido”, atesta.
 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE