Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

'''Parasita''', drama sul-coreano ácido, derruba barreiras ao vencer o Oscar de Melhor Filme

Sucesso do filme pode ser explicado por abordar problemas comuns a todos os países. Filmografia de Bong Joon-ho tem thrillers camuflando sátiras da sociedade.

 
 -   /
/ /

O filme sul-coreano "Parasita", ao mesmo tempo suspense e sátira ácida sobre as desigualdades sociais, conseguiu quebrar as barreiras linguísticas e obter sucesso em todo o mundo, até conquistar quatro prêmios no Oscar, inclusive o de melhor filme.

É uma consagração para "Parasita", primeiro filme coreano premiado no Oscar. Foi a coroação de um ano de 2019 que marcou o centenário do cinema coreano.

Primeiro, seu diretor Bong Joon-ho recebeu a estatueta de melhor roteiro original. Em seguida, a produção foi coroada melhor filme internacional, ele próprio recebeu o Oscar de melhor diretor e, finalmente, para surpresa de todos, o Oscar de melhor filme.

Spike Lee entrega o Oscar de melhor diretor para Bong Joon Ho por 'Parasita' — Foto: Chris Pizzello/AP Spike Lee entrega o Oscar de melhor diretor para Bong Joon Ho por 'Parasita' — Foto: Chris Pizzello/AP

Spike Lee entrega o Oscar de melhor diretor para Bong Joon Ho por 'Parasita' — Foto: Chris Pizzello/AP

O trabalho de Bong Joon-ho já havia vencido a Palma de Ouro no Festival de Cannes do ano passado e o Globo de Ouro de "melhor filme em língua estrangeira" em janeiro, dois prêmios de prestígio que já constituíam a primeira vez para um filme sul-coreano.

"Parasita" também foi o primeiro filme em língua estrangeira a receber o prêmio de melhor elenco, o mais popular do Screen Actors Guild, além de dois prêmios Bafta, o mais importante do cinema britânico.

Se este longa-metragem conquistou uma audiência internacional "é porque aborda problemas comuns a todas as sociedades", explica Jason Bechervaise, professor da Universidade Sul-Coreana de Soongsil Cyber.

Sul-coreanos celebram conquista de "Parasita" no Oscar 2020. Longa se tornou o primeiro não falado em língua inglesa a vencer como Melhor Filme. — Foto: AP Photo/Ahn Young-joon Sul-coreanos celebram conquista de "Parasita" no Oscar 2020. Longa se tornou o primeiro não falado em língua inglesa a vencer como Melhor Filme. — Foto: AP Photo/Ahn Young-joon

Sul-coreanos celebram conquista de "Parasita" no Oscar 2020. Longa se tornou o primeiro não falado em língua inglesa a vencer como Melhor Filme. — Foto: AP Photo/Ahn Young-joon

"Existe muita raiva política em todo o mundo, e é agravada por um sentimento palpável de crescente desigualdade social. A palavra 'parasita' realmente se encaixa nisso", disse ele à agência France Presse.

Pobreza e riqueza 'ligadas'

A comédia sombria "Parasita" conta como quatro membros de uma família de desempregados - que vegetam em um apartamento escuro e sórdido invadido por baratas - conseguem entrar no cotidiano de uma família rica de Seul.

Suas vidas começam a mudar radicalmente no dia em que o filho se torna o professor particular de inglês da filha dessa família rica, que vive em uma suntuosa mansão contemporânea cercada por um magnífico jardim.

Trailer de 'Parasita

Trailer de 'Parasita'

O filme de Bong Joon-ho, conhecido por seus thrillers camuflando sátiras da sociedade sul-coreana, mostra "muito bem como a pobreza e a riqueza estão indissociavelmente ligadas", explica John Lie, professor de Sociologia na Universidade da Califórnia, em Berkeley.

"Os ricos são parasitas dos pobres, como os pobres são dos ricos", resume. O sucesso internacional desse trabalho, especialmente nos Estados Unidos, é ainda mais notável, pois o idioma inglês domina o cinema internacional e o êxito de filmes em outro idioma que não o inglês é raro.

Na França, "Parasita" se tornou o filme vencedor da Palma de Ouro mais visto nos cinemas dos últimos 15 anos.

Durante a cerimônia do Globo de Ouro, Bong - que assina seu sétimo filme - falou aos espectadores americanos: "Depois que superarem a barreira das legendas, vocês se abrirão para muitos outros filmes incríveis".

Para Bao Nguyen, diretor vietnamita-americano, o Oscar de Bong é "um exemplo a seguir para futuros cineastas asiáticos e americanos".

Elenco de 'Parasita' faz selfie no tapete vermelho do Oscar 2020 — Foto: REUTERS/Mike Blake Elenco de 'Parasita' faz selfie no tapete vermelho do Oscar 2020 — Foto: REUTERS/Mike Blake

Elenco de 'Parasita' faz selfie no tapete vermelho do Oscar 2020 — Foto: REUTERS/Mike Blake

"Parasita" é um filme "profundamente enraizado em sua representação da sociedade coreana, e de maneira alguma cedeu às expectativas de uma audiência estrangeira", disse Nguyen.

Seu sucesso abrirá novos horizontes para outros filmes, quer acreditar Deborah Shaw, professora de Estudos Cinematográficos da Universidade de Portsmouth, na Grã-Bretanha.

Isso deve "tornar mais produtores e distribuidores internacionais propensos a investir em filmes que não falam inglês", disse ela.

Mas, de qualquer forma, é uma prova de que uma "boa história, contada de maneira excelente e com interesse universal, pode transcender" as barreiras linguísticas, ressalta.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE