Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Produtos hortis seguem tendência de 2019 e permanecem mais caros em Belém, aponta Dieese

A pesquisa revela também que as altas de preços ficaram entre 1% e 12%. Repolho foi o produto mais caro.

 
 -   /
/ /

Um levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgado nesta segunda-feira (10) revelou que o preço das verduras e legumes aumentou no mês de janeiro em Belém. Segundo o órgão, o reajuste acompanhou a alta nos preços identificada em 2019, quando os hortifrutigranjeiros subiram, em média, mais que a inflação do mesmo período, que marcou 4,31%, de acordo com o IPCA.

A pesquisa revela também que as altas de preços ficaram entre 1% e 12%. Os produtos que ficaram mais caros foram o repolho, com alta de 12,73%, a cenoura, com reajuste de 12,59% e a batata doce, que subiu 10,89%. Isso representa um acréscimo de cerca de 40 centavo no valor de cada produto.

Apesar da alta generalizada, alguns produtos apresentaram queda nos preços. Os destaques ficam para o pepino, que caiu 6,63%, o chuchu, que ficou 5,43% mais barato e o feijão verde, que caiu 1,58%. Isso representa o decréscimo de cerca de 15 centavos em cada produto.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE