Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Homicídios na ocupação do Juá e no Santarenzinho foram praticados por membros de facção de outros estados, diz polícia

João Victor, 17 anos, e Wendria Leiniane, 24 anos, teriam sido mortos por pertencerem a facções rivais.

 
 -   /
/ /

Em coletiva na manhã desta quarta-feira (12), na 16ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Santarém, no oeste do Pará, o superintendente regional da PC, delegado Jamil Casseb, o diretor da Seccional, delegado Germano do Vale e o titular da Especializada de Homicídios, Gilvan Almeida informaram que os homicídios de João Victor, 17 anos e Wendria Leiniane, 24 anos, foram praticados por membros de facções de outros estados.

De acordo com a polícia, João Victor que foi encontrado morto a tiros em um ramal que dá acesso ao Lago do Juá, na ocupação Vista Alegre do Juá, no dia 06 de fevereiro e Wendria Leiniane, 24 anos, morta a tiros no dia 10, em uma vila de casas no bairro Santarenzinho, pertenciam a uma facção e foram mortos por membros de facções rivais. Os crimes têm ligação com o tráfico de drogas.

O superintendente de Polícia Civil, Jamil Casseb destacou que essas últimas mortes e a tentativa de homicídio estão diretamente relacionados às facções criminosas. Pois há um conflito interno entre eles, mas há também o combate incessante por parte dos órgãos de segurança pública na região.

"O combate está provocando uma movimentação dentro da facção. Temos observados a presença de integrantes de outros estados atuando aqui na nossa cidade. Juntamente com a Polícia Militar estamos intensificando as nossas operações. Por isso já conseguimos solucionar esses três crimes, através das investigações. Já sabemos a motivação, já sabemos quem são os principais suspeitos, todos identificados e serão localizados, tudo através dos trabalhos de investigações ininterruptos", disse.

Já a tentativa de homicídio contra a jovem identificada como Sabrina, no ramal do Jatobá, na noite de segunda-feira (10), teria sido praticada por amigos de Wendria Leiniane, que queriam saber se Sabrina teve alguma participação na morte da jovem com a qual ela dividia a casa.

De acordo com o delegado, Gilvan Almeida, a Wendria Leiniane já tinha antecedentes criminais e estava vinculada ao tráfico de drogas e ao Comando Vermelho. E quem teria tirado a vida dela possivelmente foi recebido por ela no apartamento e trabalhou com ela na linha de frente com o tráfico de drogas.

"Todas essas pessoas foram identificadas e são pessoas com nível grande de periculosidade. Novas facções querem se instalar na cidade, mas o trabalho da Polícia é não deixar que essas criminosos tomem de conta da cidade. E as duas mortes e a tentativa já foram solucionadas", destacou o delegado da especializada de homicídios.

Investigação

Envolvidos presos nos homicídios e na tentativa em Santarém — Foto: Diolando de Souza/Arquivo Pessoal Envolvidos presos nos homicídios e na tentativa em Santarém — Foto: Diolando de Souza/Arquivo Pessoal

Envolvidos presos nos homicídios e na tentativa em Santarém — Foto: Diolando de Souza/Arquivo Pessoal

Após a coletiva, a equipe da Polícia Civil chegou com alguns suspeitos na delegacia. Um deles seria o irmão da Wendria e teria participação na tentativa de homicídio contra Sabrina.

Segundo a polícia, os amigos e familiares teriam suspeitas sobre a participação dela na morte da jovem. Por isso a torturaram e disparam contra ela vários tiros. "Eles queriam que ela falasse o que sabia sobre a morte", disse o delegado Gilvan Almeida.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE