Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Políticos britânicos encobriram abuso sexual de crianças por décadas, revela inquérito

Investigação independente apontou que não há evidências de rede organizada de pedófilos entre as décadas de 1960 e 1990, mas falhas significativas por parte das instituições em respostas às alegações de abuso sexual infantil

 
 -   /
/ /

Políticos do Reino Unido fecharam os olhos aos abusos sexuais de crianças e encobriram acusações ativamente ao longo de décadas, mostrou nesta terça-feira (25) uma investigação independente sobre crimes sexuais históricos em Westminster.

O inquérito não encontrou evidências de uma rede organizada de pedófilos em sua avaliação do período, entre as décadas de 1960 e 1990. Mas o relatório constatou que "houve falhas significativas por parte das instituições de Westminster em suas respostas às alegações de abuso sexual infantil".

"Isso incluiu a falha em reconhecer, fechar os olhos, proteger e blindar ativamente os abusadores sexuais de crianças e encobrir as alegações", de acordo com resumo do relatório.

O relatório de 173 páginas revelou que vários membros do Parlamento nas décadas de 1970 e 1980, incluindo Peter Morrison e Cyril Smith, eram "conhecidos ou alvos de rumor de serem ativos em seu interesse sexual por crianças e estavam protegidos de processo de várias maneiras" pela polícia, promotores e partidos políticos.

Peter Morrison era secretário particular de Margaret Thatcher, a primeira-ministra britânica da época.

Morrison e Smith receberam o título de cavaleiro, um sistema de honraria britânico que concede o título de "Sir".

A investigação constatou que cerca de 30 instâncias de homenagens a pessoas foram confiscadas depois que elas foram condenadas por crimes envolvendo abuso sexual.

Margaret Thatcher defendeu o título de Jimmy Savile, concedido em 1990, apesar das revelações na mídia sobre abuso sexual de crianças pelo apresentador de TV, disse o relatório.

Governo vai revisar o relatório

A secretária do Interior, Priti Patel, saudou a "força e coragem" das vítimas que testemunharam durante o inquérito.

"O governo revisará este relatório e considerará como responder ao seu conteúdo no devido tempo", afirmou ela em comunicado.

O inquérito independente sobre abuso sexual infantil (IICSA) - do qual a investigação de Westminster é uma vertente - é um dos maiores e mais caros já realizados no Reino Unido. Começou em 2017 e deve levar cinco anos para ser concluído.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE