Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Naomi Munakata, maestrina titular do Coral Paulistano, morre aos 64 anos por coronavirus em SP

Segundo a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo Osesp , onde por duas décadas ela foi regente do Coro, Naomi teve complicações por causa do covid-19.

 
 -   /
/ /

A maestrina titular do Coral Paulistano, Naomi Munakata, morreu aos 64 anos nesta quinta-feira (26) em São Paulo. Segundo o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, ela faleceu em decorrência de complicações por infecção originada pelo coronavírus (covid-19).

O boletim médico informou que a maestrina deu entrada no hospital dia 16 de março com sintomas de insuficiência respiratória grave, sendo internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no mesmo dia.

De acordo com os médicos, Naomi apresentava comorbidades que resultaram na evolução desfavorável do quadro clínico dela.

"O Hospital Alemão Oswaldo Cruz lamenta o falecimento desta que foi um dos grandes nomes da música erudita brasileira. A direção, equipe médica e assistencial do hospital se solidarizam com os familiares e amigos neste momento de grande dor", afirma o boletim do hospital. (veja íntegra abaixo)

Trajetória

Por duas décadas, Naomi foi regente do Coro da Osesp, além de diretora e professora da Escola Municipal de Música de São Paulo, diretora artística e regente do Coral Jovem do Estado, regente-assistente do Coral Paulistano e professora na Faculdade Santa Marcelina e na FAAM.

Ao lamentar a morte da regente, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) agradeceu a "contribuição inestimável dada por Naomi à música coral brasileira".

"Com pesar, a Fundação Osesp recebe a notícia que Naomi Munakata, Regente Honorária do Coro da Osesp desde 2014 e que foi titular do grupo de 1995 a 2013, faleceu hoje por complicações em decorrência da Covid-19. Seremos eternamente gratos pela contribuição inestimável dada por Naomi à música coral brasileira e, especialmente, à nossa instituição. Que o tempo conforte os corações de todos nós, demais amigos e familiares", disse a nota da Osesp.

Maestrina Naomi Munakata, da Osesp, morre aos 64 anos em SP

Maestrina Naomi Munakata, da Osesp, morre aos 64 anos em SP

A morte da maestrina também foi lamentada pela diretoria do Theatro Municipal de São Paulo, através de uma publicação no Facebook.

"A família do Theatro Municipal está órfã. Perdemos no dia de hoje, aos 64 anos, a maestrina titular do Coral Paulistano Naomi Munakata. Os mais sinceros sentimentos aos amigos e familiares dessa grande artista que abrilhantou nosso palco nos últimos anos. Sentiremos sua falta Naomi", disse.

Naomi Munakata iniciou os estudos musicais ao piano com apenas quatro anos de idade e começou a cantar aos sete, no coral regido por seu pai – Motoi Munakata. Estudou violino, harpa e formou-se em Composição e Regência em 1978 pela Faculdade de Música do Instituto Musical de São Paulo, na classe de Roberto Schnorrenberg.

A vocação para a regência começou a ser trabalhada em 1973, com os maestros Eleazar de Carvalho, Hugh Ross, Sérgio Magnani e John Neschling. Anos depois, sua trajetória foi coroada com o prêmio de Melhor Regente Coral, concedido pela APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte.

Repercussão

A morte de Naomi Munata foi lamentada também por vários críticos, autoridades e músicos de São Paulo. Entre eles o prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB).

"Lamento profundamente a morte da maestrina Naomi Munakata, do Coral Paulistano Mário de Andrade, do Theatro Municipal de São Paulo. Uma das mais importantes regentes brasileiras, Naomi foi também regente titular do Coro da Osesp durante duas décadas, com reconhecimento internacional. Era um orgulho para a Prefeitura de São Paulo tê-la como colaboradora", disse Covas.

O ex-secretário municipal de Cultura, Alexandre Youssef, também lamentou a morte de Naomi, e disse que "a música perde um talento extraordinário e todos nós perdemos uma querida colega e amiga".

"Maestrina Naomi Munakata, uma das responsáveis pela excelência musical em São Paulo nas últimas décadas, faleceu hoje. Coronavírus. Senhores, quanto vale esta vida em percentual de desemprego ou do PIB?", comentou o diretor e dramaturgo Aimar Labaki.

O falecimento também comentado pelo crítico de música erudita Irineu Franco Perpetuo: "Não há como aquilatar o tamanho dessa perda para a vida musical brasileira. Descanse em paz, querida Naomi!", disse.

Íntegra da nota do hospital:

"O Hospital Alemão Oswaldo Cruz informa que a paciente Naomi Munakata, maestrina titular do Coral Paulistano, faleceu nesta quinta-feira, 26, em decorrência de complicações por infecção do Coronavírus Covid-19. Deu entrada no dia 16 no Pronto Atendimento com sintomas de insuficiência respiratória grave, sendo internada na Unidade de Terapia Intensiva. Tinha 64 anos e apresentava comorbidades que resultaram na evolução desfavorável do quadro clínico. O Hospital Alemão Oswaldo Cruz lamenta o falecimento desta que foi um dos grandes nomes da música erudita brasileira. A direção, equipe médica e assistencial do hospital se solidarizam com os familiares e amigos neste momento de grande dor."

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE