Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Santarenos poderão acompanhar missas da Semana Santa pela internet, TV e rádio

Arcebispo Dom Irineu Roman dá dicas de como católicos podem participar das datas em casa. Confira os horários das celebrações.

 
 -   /
/ /

Devido a pandemia de coronavírus, houve mudanças nas celebrações da semana santa, uma das datas mais lembradas pelos cristãos mundo afora. Este ano, as missas serão transmitidas pelas redes sociais e também pela TV. O arcebispo de Santarém, no oeste do Pará, Dom Irineu Roman, orienta que os católicos realizem os “rituais” em casa.

Em uma carta, divulgada no dia 27 de março, o arcebispo destaca que neste tempo de provações, somos levados a experimentar tempos difíceis e exigentes onde nossa fé é provada diariamente. “É hora de confiar na mão poderosa de Deus, as nossas preocupações, sabendo que ‘Ele nos ama com amor atual, pessoal, terno, eterno, infinito e misericordioso’, ressalta Dom Irineu.

“Essa doença do COVID-19 vem nos lembrar a nossa pequenez. O homem, orgulhoso de sua ciência e de suas conquistas tecnológicas, põe toda a humanidade para não sair e ficar dentro de casa. Na verdade, nós não somos onipotentes e tão poderosos assim: só Deus o é. Nós devemos ser humildes.”

Diante deste cenário, as recomendações da Arquidiocese de Santarém são:

  1. Ficam suspensas todas as celebrações públicas da Santa Missa, assim como outras celebrações, novenas e festividades, até novas e desejadas determinações diferentes;
  2. Paróquias e Áreas Pastorais que tiverem equipamentos adequados transmitam celebrações reservadas através de mídias sociais;
  3. Igrejas devem permanecer abertas, limpas e arejadas;
  4. Durante esse período de quarentena, a Arquidiocese oferece celebrações pela TV Encontro (Canal 26.1), Rádio Rural e Mídias Sociais nos seguintes horários: de segunda a sexta no horário das 18h. Aos sábados às 19h30 e aos domingos às 8h30 e 19h, diretamente da Catedral;
  5. Até que se encerre o período chamado “quarentena”, todas as pessoas estão dispensadas do preceito dominical, podendo acompanhar a Santa Missa pelos meios de comunicação;
  6. Ficam suspensas todas as reuniões, assim como outras atividades, inclusive a catequese e encontros de pastorais, grupos e movimentos;
  7. Os idosos devem permanecer em casa e não se dirigir às Igrejas de forma alguma. Estes e outras pessoas que fazem parte do grupo de maior risco para desenvolver formas graves da doença, podem acompanhar as celebrações litúrgicas através dos meios de comunicação;
  8. Incentivamos as práticas de piedade em família, como a recitação do terço, novenas, via sacra, leitura orante da Palavra de Deus. Além disso, lembremo-nos da Palavra do Senhor: “quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai que está no escondido. E o teu Pai que vê no escondido, te dará a recompensa” (Mt 6,6);
  9. Para o Sacramento da Reconciliação, faz-se necessário ter os devidos cuidados com a proximidade do confessor e do penitente. Preferencialmente, as confissões sejam em lugares abertos e a uma distância prevista pelos órgãos de saúde. Cancele-se os mutirões de confissões.

Arcebispo de Santarém fala sobre as mudanças nas celebrações da Semana Santa

Arcebispo de Santarém fala sobre as mudanças nas celebrações da Semana Santa

Especificamente para a Semana Santa, a Santa Sé deu as seguintes orientações:

  • A Páscoa é o coração do ano litúrgico. Não é uma festa como as outras. Celebrada no arco de três dias, o Tríduo Pascal, precedida pela Quaresma e coroada pelo Pentecostes, não pode ser transferida;
  • O Domingo de Ramos seja celebrado com sobriedade, sem procissão;
  • O Tríduo Pascal será celebrado na Catedral, nas Igrejas Paroquiais e Áreas Pastorais, mesmo sem a participação dos fiéis. Todas as celebrações da Semana Santa, presididas pelo Arcebispo, na Catedral serão transmitidas pela TV Encontro, Rádio Rural e mídias (Pascom em transmissão direta;
  • Na Quinta-feira Santa, omite-se o lava-pés. No final da Missa na Ceia do Senhor, não haverá a procissão e o Santíssimo Sacramento será guardado no Sacrário. A Santa Sé concedeu, a título excepcional a todos os sacerdotes a faculdade de celebrar neste dia, em lugar adequado, a Missa sem o povo;
  • Na Sexta-feira Santa, na Catedral, nas Paróquias e Áreas Pastorais, na medida da real possibilidade estabelecida, o Arcebispo e os Párocos celebrem a Paixão do Senhor. O beijo da Cruz, na sexta-feira, seja suprimido, e substituído pela segunda fórmula, ou seja, adoração solene;
  • Todas as procissões ficam canceladas na Semana Santa em todas as Paróquias e Áreas Pastorais da Arquidiocese;
  • A Vigília Pascal deve ser celebrada de forma reservada apenas na Catedral, nas sedes das Paróquias e Áreas Pastorais. Para o início da Vigília omite-se o acendimento do fogo, acende-se o Círio e, omitindo a procissão. Na liturgia da Palavra, redução no número de leituras;
  • Todas as celebrações agendadas com o Arcebispo no Domingo de Páscoa devem ser revistas e adiadas.

O arcebispo reitera que essas atitudes são para ajudar os fiéis a não entrarem em pânico, visto que o recomendado é que sejam seguidas as normas das autoridades da saúde e mantenha o clima de oração, fraternidade e serenidade diante de tudo o que está acontecendo.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE