Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Coronavírus: Governo do Estado encaminha equipamentos de proteção para Santarém

Luvas, máscaras, álcool e sabonete serão levados pelo Grupamento Aéreo de Segurança Pública.

 
 -   /
/ /

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), por meio do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), realiza na manhã deste sábado (4), o transporte de mais de meia tonelada de equipamentos de proteção individual (EPI). Os materiais serão encaminhados ao município de Santarém, no oeste do Pará.

Os EPIs serão distribuídos para a região. A viagem que levaria 1 dia e meio para ser realizada via terrestre, será feita em 2h30 por meio aéreo. Dentre os equipamentos estão 3.714 luvas, 5.000 máscaras, 87 litros de álcool em gel, 145 litros de álcool 70° e 65 litros de sabonete líquido para coibir a proliferação do novo coronavírus no estado.

Os EPIs serão destinados aos agentes da segurança pública e outros servidores que atuam na Fundação Hemopa, Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e Polícia Federal, por exemplo.

"O Graesp tem feito viagens rotineiras para o interior do Pará para levar os produtos e documentos e o que for necessário, para que não se pare o combate contra a proliferação do coronavírus" , Ualame Machado , secretário estadual de Segurança Pública.

Todo o material totalizou um investimento de cerca de R$ 1,5 milhão, e foi adquirido pela Segup para a proteção dos agentes públicos que atuam em atividades essenciais e não podem parar de trabalhar em prol da população paraense.

A ação visa oferecer o máximo de segurança aos agentes no desempenho de suas funções. Além dos EPIs que serão levados para Santarém, já foram entregues 130 mil luvas; 15 mil máscaras e 10 mil litros de álcool 70º.

"Sabemos da situação da malha viária no país e da dificuldade de transporte, por isso estamos dando o apoio necessário a qualquer órgão para levar equipamento, documentos, coletas de exames, resultados de exames, para que a gente possa dentro da federação ter uma articulação melhor de logística. A gente sabe que a região de Santarém e Altamira está sem voos comerciais em razão da malha ter sido suspensa, mas nós precisamos realizar essas viagens.", explicou o secretário.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE