Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Serviço de transporte aeromédico passa a ser regulado pela 9ª Regional de Saúde em Santarém

Antes, o serviço era regulado na capital Belém, o que representava demora em alguns casos.

 
 -   /
/ /

Após a descentralização do serviço de transporte aeromédico da capital Belém, o serviço passou a ser regulado pelo município de Santarém, no oeste do Pará. Os detalhes para a mudança foram acordados nesta quarta-feira (3), durante reunião no Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas.

Com isso, será possível aumentar o número de voos e reduzir, inclusive, o tempo de espera de atendimento. O processo de regulação do serviço aeromédico ficará subsidiado na sede da 9ª Regional de Saúde em Santarém.

"Primeiramente é importante destacar que o serviço aeromédico já foi descentralizado, antes o serviço tinha base somente em Belém, agora já possui uma base em Santarém. Essa foi uma decisão do governador Helder Barbalho, que tem nos ajudado a salvar muitas vidas na região. Agora, nós vamos ganhar mais tempo, principalmente em relação a ativação da aeronave, para buscar os pacientes nos municípios da região oeste, sendo possível inclusive aumentar o número de voos diários", destacou o Secretário Regional Henderson Pinto.

A coordenadora de Urgência e Emergência, Andrea Luz, explica como será a operacionalização do serviço na região. O serviço de resgate aeromédico será feito diretamente pela equipe de médicos reguladores da 9ª Regional da Sespa, através da solicitação da unidade ao qual o paciente se encontra.

"Esse contato é feito por telefone e e-mail. Ao receber a solicitação, o médico regulador atualiza o quadro clínico do paciente e aciona o transporte aéreo. Via terrestre esse resgate demorava muito, colocando em risco a vida das pessoas que precisavam de um atendimento mais urgente, então esse transporte significa uma nova chance para cada paciente que precisa de atendimento", detalhou.

O serviço abrange 29 municípios, nas regiões do Baixo Amazonas, Tapajós e Xingu. Com a vinda da regulação para o município de Santarém, deve-se ganhar mais tempo e agilidade no atendimento aeromédico.

"A equipe toda está preparada e já trabalha em regulação, é apenas mais um instrumento de apoio que nós vamos ter", destacou Marcela Tolentino, diretora da 9ª Regional da Sespa em Santarém.

O serviço se tornou essencial para reduzir o tempo de atendimento e salvar vidas dos pacientes com suspeitas de Covid-19 no interior do estado. Desde o dia 22 de abril, o serviço está disponível em Santarém.

Até o final de maio, 18 pessoas precisaram de transferência via Unidade de Terapia Intensiva aérea na região, sendo 15 com suspeitas de Covid-19 e outras três com outras enfermidades.

"Importante ressaltar que estamos dando suporte aos municípios próximos. Já recebemos pacientes de Óbidos, Juruti, Terra Santa, Alenquer, Monte Alegre, Prainha e Itaituba para atendimento médico em Santarém. É um serviço essencial para salvar vidas aqui nesta região, já que reduz o tempo de atendimento", ressaltou o secretário regional de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto.

Serviço aeromédico

O serviço aeromédico é um transporte fundamental para o resgate rápido dos pacientes localizados em municípios mais distantes do Estado. Os helicópteros estão aptos para o atendimento dos pacientes com segurança, possuem os equipamentos necessários para realizar o transporte com segurança médica, como respirador, monitores cardíacos e bombas de infusão; além dos profissionais de saúde: um piloto, um enfermeiro e um médico.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE