Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Estado do PA e cidade de Altamira lideram desmatamento na Amazônia no 1º semestre de 2020, diz Imazon

Estado teve 43% do total desmatado na região, devastando 1.093 km², equivalente a três vezes a área da cidade de Belo Horizonte.

 

O Pará lidera o ranking dos estados na Amazônia que mais desmataram no primeiro semestre deste ano. O estado registra 43% do total desmatado, seguido do Amazonas (21%), Mato Grosso (14%), Rondônia (14%), Acre (7%) e Roraima (1%). O total devastado no Pará foi de 1.093 km², equivalente a três vezes a área da cidade de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

Altamira, no sudeste do Pará, é a cidade com maior índice de desmatamento entre os municípios. Em seguida, vem Porto Velho (RO), Novo Progresso (PA) e Itaituba (PA).

Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). No primeiro semestre, foram 2.544 km² de área desmatada, representando aumento de 24% comparado ao mesmo período de 2019.

Segundo o Imazon, é o segundo maior valor acumulado em um semestre desde 2010.

Questionada sobre o estudo, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) do Pará disse que não foi comunidade oficialmente e que mantém monitoramento da floresta com base nos dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Segundo a secretaria, dados atualizados revelariam aumento de 56% no desmatamento no estado, em relação aos seis primeiros meses de 2019, sendo que do desmatamento ocorrido no primeiro semestre de 2020, 65% estariam em áreas federais.

A Semas afirmou, ainda, que mantém o combate ao desmatamento com ações como a operação Amazônia Viva, que apreendeu madeira ilegal, equipamentos e armas em Uruará e Pacajá, em ações nesta semana.

Unidades de preservação

No último mês de junho, o desmatamento também avançou por unidades de conservação, aponta o Imazon.

No Pará, as mais afetadas foram a Área de Proteção Ambiental (APA) Triunfo do Xingu, com 27 km²; e Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, com 23 km².

As terras indígenas mais desmatadas ilegalmente são todas no Pará - Apyterewa, Mundurucu e Kayapó.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE