Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

3ª fase da operação '''Amazônia Viva''' resulta em prisões e áreas embargadas por desmatamento ilegal no PA

O balanço desta fase, realizada entre os dias 17 e 29 de agosto, foi divulgado nesta terça-feira 1º . Terceira etapa foi deflagrada em seis municípios paraenses.

 
 -   /
/ /

Nove pessoas foram presas, uma serraria foi interditada e 424m³ de madeira apreendidos durante a terceira fase da operação 'Amazônia Viva', deflagrada em seis municípios do Pará. O balanço desta fase, realizada entre os dias 17 e 29 de agosto, foi divulgado nesta terça-feira (1º).

De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a operação apresentou a maior redução de desmatamento em sua terceira etapa, com diminuição de 59% nas áreas estaduais, em comparativo ao mesmo período de 2019. A operação faz parte da Força Estadual de Combate ao Desmatamento e Queimadas.

A terceira fase na operação foi deflagrada nos municípios de Uruará, Anapú, Pacajá, Itaituba, Novo Progresso e São Félix do Xingu. Dos mais de 420m³ de madeira apreendida, 185m³ são em tora, 204m³ de serrada e 34m³ de estaca. Segundo a Semas, as madeiras serão destinadas à instituições de caridade, órgãos estaduais ou municipais ou serão leiloadas.

De acordo com as informações da Semas, uma área de 38.931,50 hectares foi embargada por desmatamento ilegal. Durante a operação foram apreendidos ainda seis tratores, dois caminhões, 27 armas de fogo, 36 motosserras, 62 munições de arma de fogo, um gerador, um guincho e uma balsa. Ao todo, foram realizadas seis perícias, quatro flagrante, 14 termos circunstanciados de ocorrências e quatro inquéritos policiais.

Segundo a Semas, a quarta fase da operação já está sendo planejada e deve ocorrer a partir da primeira quinzena de setembro. Para o titular da Semas, a atuação da Secretaria precisa de mais apoio do Governo Federal. “Considerando que as áreas federais totalizam quase 70% do território paraense, carecemos de uma atuação conjunta, com recursos federais para avançar ainda mais e alcançar resultados mais expressivos nessas áreas”, ressalta.

No Pará, os municípios de Altamira, São Felix do Xingu, Itaituba, Novo Progresso, Jacareacanga, Pacajá, Portel, Senador José Porfírio, Novo Repartimento, Trairão, Rurópolis, Uruara, Anapú, Santarém e Placas ocupam os primeiros lugares do ranking do desmatamento do Estado e são focos da Amazônia Viva, a partir de monitoramento realizado por satélite, segundo a Semas.

A operação foi realizada de forma integrada entre a Semas e Secretária de Segurança Pública do Estado, com a participação das Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBMPA), Centro de Perícias Renato Chaves (CPC), Defesa Civil, Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) e Graesp. Ao todo, mais de 150 profissionais participaram da terceira fase da operação.

Primeira e segunda fase

No mês de junho deste ano foi realizada a primeira fase da operação, que apreendeu 17 motosserras, nove veículos (entre escavadeiras e caminhões), 11 armas de fogo. Foram registradas a destruição de três acampamentos improvisados e a interdição de três garimpos clandestinos para extração de ouro. Também foram realizados 14 flagrantes de crimes ambientais.

A segunda etapa da operação ocorreu em julho e resultou na apreensão de 2.751m3 de madeira, 719 m³ de serrada e 37 m³ de estaca, 10 tratores, cinco caminhões, um reboque, uma caminhonete e uma motocicleta, 35 motosserras, duas placas solares, quatro rádios comunicadores, 11 armas de fogo e 38 munições, 18 acessórios para beneficiamento de madeira, três correntões e dois sopradores.

A operação também realizou quatro flagrantes e 23 Termos Circunstanciais de Ocorrências (TCOs), que provocaram a prisão de seis pessoas e oito Inquéritos Policiais (IPLs). A equipe ainda atuou em 10 combates a queimadas e incêndios e 22 perícias, inutilizou ou destruiu 10 acampamentos, sete tratores, três bases de serrarias móveis e outra serraria tipo induspam, um motor de lavra garimpeira e 616 m³ de madeira.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE