Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Inspeção na Divisão de Vigilância em Saúde detecta notificações pendentes de envio pelo sistema

Atraso na digitação de fichas epidemiológicas gera casos de sub-notificações no município de Santarém.

 
 -   /
/ /

Uma inspeção realizada por diretores técnicos da Epidemiologia do 9º Centro Regional de Saúde (CRS) da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), na Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa) e na Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Santarém, oeste do Pará, nesta terça-feira (8), detectou pendências e atrasos de lançamentos das informações das fichas epidemiológicas, referentes a ocorrência de casos do novo coronavírus no município.

A responsabilidade de alimentar o sistema é da Divisão Epidrmiológica que funciona na Divisa. elaborado um relatório de inspeção pela Sespa sobre o que foi encontrado, mas foi identificado pela equipe que esteve no local pelo menos cinco caixas cheias de fichas a serem lançadas.

A inspeção foi acompanhada pelo promotor de Justiça Bruno Fernandes, designado pela Procuradoria-Geral para atuação na 8ª Promotoria de Santarém. Segundo ele, a Divisa ficou de contabilizar e indicar à Sespa a quantidade de fichas pendentes. Uma das propostas do 9º CRS, entre outras, é montar uma força tarefa para digitação das notificações pendentes.

Em reunião realizada no dia 4 de agosto, que contou também com a presença da promotora de Justiça Évelin Staevie dos Santos, o Ministério Público do Estado e os órgãos de saúde discutiram os problemas e soluções para as muitas falhas estruturais persistentes, pois as informações das fichas epidemiológicas estavam chegando atrasadas à Sespa, em especial em relação às áreas indígenas. Ocorria geralmente das informações serem encaminhadas por aplicativo de mensagens instantâneas, inseridas em planilhas e lançadas no Boletim, chegando após as fichas.

Essas dificuldades de preenchimento e lançamento das fichas no sistema geraram um aumento no número de casos de subnotificações.

"A sub-notificação dos casos que são registrados nos boletins epidemiológicos, geram distorção da análise de casos no Município de Santarém”, reforçou o promotor Bruno Freitas.

Nesse mesmo dia 4 também foram abordados o oferecimento de medicações, a climatização do Hospital de Campanha, o controle de testes rápidos, controle epidemiológico, entre outras questões referentes ao combate à pandemia.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE