Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Após fechamento por causa da pandemia, Flona reabre para visitação pública nesta quinta, 24

As visitações serão permitidas, mas as idas ao igarapé do Jamaraquá não estão autorizadas.

 
 -   /
/ /

A Floresta Nacional (Flona) do Tapajós , localizada no município de Belterra, no oeste paraense, reabriu nesta quinta-feira (24) para visitação pública. A unidade de conservação estava fechada desde o mês de março devido a pandemia do novo coronavírus.

A autorização de reabertura da visitação foi publicada em um ofício. O documento é direcionado aos representantes dos municípios de Belterra e Aveiro, Federação e comunidades, operadores de turismo que atuam na Floresta Nacional, Associação de Turismo Fluvial de Alter do Chão e Secretarias de Turismo de Santarém e Belterra.

As visitações serão permitidas, as pessoas podem fazer passeios nas trilhas e em outros atrativos, mas as idas ao igarapé do Jamaraquá no trecho da ponte de madeira, localizado na estrada TransTapajós, não estão autorizadas.

Floresta Nacional do Tapajós — Foto: Marcelo Brandt/G1

Em documento publicado no dia 25 de agosto, no Diário Oficial da União (portaria nº 890), foi autorizada a reabertura gradual, desde que fossem atendidas as recomendações estabelecidas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

A manifestação dos municípios envolvidos e das comunidades existentes da Unidade de Conservação foi necessária para o processo de reabertura da Flona.

Confira as normas estabelecidas pelo ICMBio e Flona para reabertura:

  • Uso obrigatório de máscara de proteção facial, ainda que artesanal, durante todo o período que estiver no interior da Unidade;
  • Disponibilizar álcool gel 70% ou produto de higienização para as mãos nas estruturas abertas à visitação e nos transportes terrestres e aquaviários, por meio dos operadores e prestadores de serviços;
  • Não será permitido o compartilhamento de equipamento de proteção individual (EPI) sem antes proceder a higienização e desinfecção dos objetos;
  • Manter ambientes bem ventilados e promover com frequência a limpeza e desinfecção dos ambientes, pisos, corrimãos, lixeiras, balcões, maçanetas, tomadas, torneiras e banheiros, além de outros objetos de uso coletivo, como cadeiras, sofás e bancos;
  • Máquinas de débito e crédito devem estar fixas ou envelopadas com filme plástico e desinfetadas após cada uso;
  • Distanciamento mínimo de 2m entre os sofás, mesas, cadeiras e bancos dos espaços comuns do empreendimento;
  • No caso de restaurantes, é necessário manter o distanciamento mínimo entre as mesas e cadeiras;
  • Transportes terrestres e aquaviários de visitantes devem priorizar a ventilação natural. Ao final de cada viagem, deve ser realizada a limpeza e desinfecção dos veículos;
  • A entrada nas Aldeias Takuara, Marituba e Bragança (Terras Indígenas Munduruku-Takuara e Bragança-Marituba), que possuem interface territorial com a Flona do Tapajós, poderá ser autorizada somente após a anuência da FUNAI e lideranças das Aldeias/Conselho Indígena Munduruku de Belterra;
  • Visitantes devem assinar o formulário de monitoramento da visitação, disponíveis nas bases de entrada da UC ou nas pousadas e restaurantes das comunidades.
  • Serão permitidas caminhadas nas trilhas de grupos com no máximo 5 pessoas.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE