Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Campanha da Pró-Saúde mostra como a filantropia está inserida no dia a dia da maioria dos brasileiros

 
 -   /
/ /

Uma das maiores entidades filantrópicas do país promoverá em outubro, o Mês da Filantropia, para mostrar de forma direta e acessível, onde está a filantropia e o que ela significa

O conceito de filantropia e a relevância das entidades filantrópicas na prestação de serviços ainda são pouco compreendidas pela população brasileira.

“A maioria das pessoas provavelmente não sabe que é ou já foi, em algum momento da vida, beneficiada pelo trabalho de uma entidade filantrópica”, afirma Regina Victorino, gerente corporativa de Filantropia da Pró-Saúde.

Ela tem razão. Pesquisa realizada pelo Fonif (Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas) mostra que “filantropia com dimensão institucional, parece um conceito bastante restrito aos profissionais da área e aqueles de trabalham de forma direta com o tema”.

Por outro lado, apenas no âmbito da saúde, dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de saúde (CNES) evidenciam a importância da filantropia — em 2017, quatro em cada dez usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) recebeu atendimento em uma entidade filantrópica.

Este cenário serviu de inspiração para que a Pró-Saúde criasse uma agenda especial sobre o tema para outubro, mês em que é celebrado o Dia Nacional da Filantropia (20/10). Com 16 mil colaboradores, a entidade filantrópica, que realiza gestão de serviços hospitalares, é uma das maiores do país e atende mais de um milhão de pacientes por mês.

“A ideia é mostrarmos para as pessoas onde está a filantropia e o que ela significa, de forma direta e acessível. Queremos empoderar os cidadãos sobre o tema e levar a cultura filantrópica para além dos muros da nossa instituição”, complementa Regina.

Em razão do atual cenário de pandemia, a programação será realizada em formato digital nos canais da Pró-Saúde. Diversos colaboradores da instituição gravaram vídeos explicativos sobre temas variados, sempre no contexto da filantropia.

Eles abordarão, entre os vários aspectos da filantropia, a humanização nas unidades de saúde e as ações das Pastorais da Saúde. Questões relacionadas ao terceiro setor e a interação sócio comunitária proporcionada por campanhas e projetos da instituição, também serão apresentadas.  

Diversas ações receberão ainda o selo “Aqui tem filantropia”, para mostrar, didaticamente, como o tema está inserido no dia a dia das pessoas. Tudo será compartilhado com o público por meio do site e das redes sociais da instituição.

Do ponto de vista conceitual, filantropia significa “amor à humanidade”. Porém, em termos constitucionais, a atividade filantrópica, sem fins lucrativos, tem direitos legais que preservam sua atuação.

“No Brasil, a Constituição Federal assegura direitos às entidades de assistência social, saúde e educação, inclusive com a concessão de imunidade tributária. Isso garante a continuidade das atividades do setor”, ressalta a gerente de Filantropia.

A importância da filantropia

Instituições filantrópicas de saúde, como a Pró-Saúde, são organizações com produção significativa voltada para o Sistema Único de Saúde (SUS), que ofertam hoje mais de 100 mil leitos para a população brasileira.

Segundo o Fonif, o setor devolve à sociedade R$ 7,39, em média, para cada R$ 1 em imunidade previdenciária, ou seja, sete vezes mais. As mais de 11 mil entidades que atuam hoje no Brasil geram cerca de 2,3 milhões de empregos, panorama que torna inquestionável a importância das atividades do setor.

A filantropia exerce um papel fundamental na garantia dos direitos de acesso aos serviços básicos do cidadão, ao mesmo tempo em que contribui para a redução das desigualdades sociais no Brasil.

“Por isso, neste mês de outubro, a Pró-Saúde vai mostrar como a filantropia contribui para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Convido a todos para acompanhar e compartilhar este trabalho filantrópico que vem sendo realizado há mais de 50 anos pela entidade”, finaliza o presidente da Pró-Saúde, Dom João Bosco Óliver de Faria.

A relevância do tema ganha uma dimensão maior, conforme aponta o Fonif, quando a imunidade tributária das entidades filantrópicas no país está ameaçada. Tramita um projeto no Congresso Nacional, que mantem ou eleva as alíquotas,tornando os serviços onerosos ao mesmo tempo em que reduz a capacidade de atendimento das entidades.

Para saber mais sobre o tema, acesse o manifesto “Taxação da Solidariedade, lançado pelo Fonif.

“São inúmeras e complexas proposições que integram esses projetos em tramitação, que podem acarretar uma diminuição da capacidade de atendimento das entidades filantrópicas. Isso impactaria de forma negativa a vida dos brasileiros mais carentes, por isso, precisamos agir e empoderar os cidadãos com informações sobre o tema”, enfatiza Regina Victorino.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE