Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Grupo diz que sofreu preconceito ao ser barrado na entrada de shopping em Belém

Shopping Castanheira informou que funcionários não cometeram ato discriminatório e que evitaram arruaça dentro do estabelecimento. Caso foi registrado na Polícia.

 
 -   /
/ /

Um grupo cinco pessoas foi barrado ao tentar entrar no Shopping Castanheira, em Belém. Eles afirmam que sofreram discriminação e preconceito e registraram o caso na Polícia Civil. A direção do Shopping Castanheira emitiu nota dizendo que os funcionários não cometeram ato discriminatório e que evitaram arruaça dentro do estabelecimento.

A cozinheira Simone Pamplona tentou praticar um lazer com amigos em um shopping da cidade, mas acabou tendo a vontade frustrada logo na porta. Ela e os amigos foram impedidos de entrar no estabelecimento por seguranças.

"Eu e a minha amiga fomos levar a minha filha e os irmãos dela ao shopping. O que ocorreu é que fomos barrados pelos seguranças por discriminação. Do jeito que eles olharam pra gente foi de um jeito preconceituoso porque entre nós tinham jovem de cor mais escura e eu creio que eles julgaram pela aparência, alegando que tinham jovem que entravam lá para fazer vandalismo, sendo que nós estávamos acompanhando eles, todos bem vestidos, ninguém era vândalo. Eu sou mãe de família, a minha amiga também", contou Pamplona.

Shopping Castanheira, Belém — Foto: Divulgação / Shopping Castanheira

O grupo registrou a situação com um celular. Inicialmente eles tentaram acessar ao shopping pelo pórtico que liga a rodovia BR-316 de uma margem à outra, mas foram impedidos. Nas imagens aparece um dos seguranças dizendo que eles são conhecidos por causar 'arruação dentro do shopping.

Eles desceram do pórtico e tentaram acessar o empreendimento pelo acesso principal, mas também foram barrados.

"Gente, é um absurdo. A gente tá entrando no shopping. Estamos sendo impedidos de entrar no shopping. Os seguranças estão indo atrás da gente como se fôssemos assaltantes", relatou no vídeo a estudante Pabline Apiles.

"Como eu falei pra ele. Se você quiser puxar imagem de câmera você pode puxar porque aqui não tem vândalo, tem pessoas de família, de bem, e não é certo o que vocês estão fazendo. Vocês estão abusando da autoridade de vocês como segurança", acrescentou Simone.

A grupo foi conseguiu entrar ao shopping para ir direto ao serviço de atendimento ao cliente para realizar uma denúncia contra a situação. Em seguida, eles foram à delegacia registrar um boletim de ocorrência do caso.

Em nota, o Shopping Castanheira informou que reafirma a sua política de segurança contra os chamados rolezinhos e lamente que se use as redes sociais para desinformar a população usando a desculpa de racismo. Disse ainda que repudia qualquer forma de racismo ou ato discriminatório e ressalta que trabalha continuamente para que todos os clientes se sintam acolhidos com segurança.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE