Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Postos de vacinação seguirão medidas de segurança contra a Covid-19

O documento elaborado pelo Ministério da Saúde considera medidas de distanciamento social para evitar aglomerações e controlar infecções

 

Para garantir a segurança da população durante as campanhas de atualização das cadernetas de vacina, o Ministério da Saúde elaborou um protocolo de segurança com abordagens para minimizar os riscos relacionados à Covid-19. O documento considera medidas de distanciamento social para evitar aglomerações e controlar infecções por meio do uso de máscaras, luvas e demais equipamentos.

Para manter com eficiência e segurança os serviços do Programa Nacional de Imunizações (PNI), o Ministério da Saúde implementou também estratégias de serviços móveis. Nos locais onde a prestação de serviços for limitada, serão priorizadas a imunização das populações vulneráveis, com maior risco de morte ou infecção, como crianças, gestantes e grupos de risco.

Neste mês, cerca de 11 milhões de crianças na faixa etária de 1 a 4 anos devem ser vacinadas contra Poliomielite. A meta é vacinar pelo menos 95% deste público. Paralelamente, o governo está incentivando a atualização da caderneta de vacinação para menores de 15 anos. Além da campanha de combate ao sarampo, destinada ao público de 20 a 49 anos de idade.

Vacinação contra a Covid-19 deve ocorrer no primeiro semestre de 2021, segundo Governo Federal

Votação do projeto que cria regras para distribuição das vacinas contra Covid-19 é adiada no Senado

Nos locais em que os serviços de saúde estiverem funcionando normalmente, com recursos adequados e suprimento de vacinas, os serviços de imunização deverão ser executados respeitando as medidas de distanciamento físico e as precauções de controle de infecção.

Caso uma pessoa com suspeita ou confirmação de Covid-19 estiver em um centro de saúde ou hospitalizada, o protocolo do recomenda que ela seja vacinada de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, no momento da recuperação e antes da alta, respeitando as medidas apropriadas de prevenção e controle de infecções. A regra também se aplica às pessoas que tiveram contato com pacientes com suspeita ou confirmação da doença.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE